Rubrica

Aqui e Agora: o grande desafio de viver com ansiedade

- publicidade -

Hoje é 4ªf dia 5 de maio, mas podia ser um outro dia qualquer…Para Maria são todos iguais: são dias de luta!

Maria faz um enorme esforço para vencer os seus fantasmas. O coração bate de forma apressada, as mãos estão encharcadas em suor, vomitou duas vezes, mas não desiste de tentar ir à escola. Há semanas que está em casa e sente-se cada vez mais angustiada, sem controlo sobre a sua vida. A ansiedade instalou-se de forma progressiva e discreta. Agora tomou conta dos pensamentos de Maria, convencendo-a que precisa tentar controlar todas as variáveis, dos mais diversos sistemas, se quer continuar a viver.

Viver com ansiedade é revisitar, constantemente, o passado verificando que nada falhou. É ser pouco generoso consigo próprio e acreditar que essa é a única forma de viver a vida: preso a uma exigência exacerbada e castradora.

Viver com ansiedade também é antecipar o futuro, colocar todos os cenários catastróficos, criando assim uma ilusão de segurança: estarei preparado para tudo.

Em uma época tão atípica e complexa como a que vivemos, assiste-se, naturalmente, a um aumento alarmante das perturbações de ansiedade. Os pedidos de apoio psicoterapêutico multiplicam-se, percebendo-se como a saúde mental dos portugueses se encontra em risco.

Medo e ansiedade caminham de mãos dadas e roubam o presente. Potenciam uma elevada angústia de antecipação, o sentimento de estar sempre em alerta e impedem um dia a dia gratificante.

As perturbações de ansiedade são transversais a todas as idades e têm em comum o elevado sofrimento clínico que provocam. São incapacitantes, de um normal desenvolvimento da rotina do dia a dia, conduzem, muitas vezes, a isolamento social e condicionam um sentimento de falta de esperança no futuro.

Quem vive com ansiedade, vive também com o estigma de ter uma doença invisível. É muitas vezes apelidado de “preguiçoso” e a sintomatologia que apresenta é desvalorizada.

E você? Também sofre de ansiedade? Também se sente incapaz de viver “Aqui e Agora” de forma tranquila e saudável? Está constantemente alerta e a reviver o passado?

Sim? Então esta crónica é para si. A psicoterapia e, em alguns casos, a intervenção farmacológica. são fundamentais para a recuperação de um quadro de ansiedade.

Não fique em silêncio! Escolha a sua saúde mental. É possível ser feliz: Aqui e Agora!

- publicidade -

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui