Montijo

Nuno Canta acusa autarquias da CDU de ‘veto político’ ao aeroporto no Montijo

Discussão na reunião camarária versou questão do aeroporto no Montijo

- publicidade -

O executivo da Câmara Municipal do Montijo reuniu esta quarta-feira via zoom, numa reunião que estará disponível em diferido no canal de youtube da autarquia.

Um dos temas em discussão durante a tarde, além da questão dos loteamentos, foi a posição da Autoridade Nacional da Aviação Civil – ANAC de não fazer apreciação prévia de viabilidade para efeitos de construção do Aeroporto Complementar no Montijo, solicitada pela ANA.

O tema foi levantado pelo vereador João Afonso (PSD/CDS-PP) numa crítica ao facto de Nuno Canta não ter referido o assunto nas suas intervenções iniciais, “um assunto em que o presidente e António Costa garantiram avançar com o aeroporto, acontecesse o que acontecesse, e agora já apontam a hipótese do campo de tiro de Alcochete.

E o presidente andou estes anos todos a apostar tudo no aeroporto e deixou para trás muitos investimentos, ao nível da habitação, transporte, saúde, centros escolares, higiene e limpeza urbana. Temos um enorme conjunto de investimentos parados à espera do aeroporto, que agora pode não vir para o Montijo. Como explica agora a sua estratégia falida aos montijenses? E hoje fez as intervenções que quis, mas não abriu a boca sobre isto, porque perdeu a bola e deixou-nos órfãos de uma estratégia.”

Sobre isto, o presidente afirmou “não ter muito a dizer sobre a decisão da ANAC, que entendeu não licenciar para uso civil a BA6, era um passo que se tinha de dar”, e criticou as afirmações do vereador social-democrata.

“Não vale a pena já cantar vitória de que o Montijo perdeu o projecto do aeroporto, porque continua a ser essa a solução em termos de capacidade. E é também de uma enorme desfaçatez e vergonha na cara vir dizer que não há obra no Montijo, e que só fazemos coisas sustentados pelo aeroporto” enumerando depois várias obras realizadas ao longo do actual mandato.

Nuno Canta apontou ainda as três hipóteses que são colocadas agora pelo Governo, numa Avaliação Estratégica: “regressar ao campo de tiro de Alcochete, que já nem tem licença ambiental, caducada em dezembro de 2020 e assim levar o aeroporto para o município da CDU de Benavente; manter o aeroporto na Portela e construir o complementar no Montijo ou criar uma função dual com o aeroporto principal no Montijo e complementar na Portela.

É perante este cenário que nos condenaram políticos sem capacidade e sem visão de garantir um futuro às pessoas.”

João Afonso censurou também as autarquias da Moita e do Seixal “que com este posicionamento, também prejudicam o desenvolvimento da região e vão atrasar em vários anos o processo. Já precisávamos de construir um novo aeroporto, porque a capacidade da Portela estará esgotada em dois ou três anos.”

Esta posição foi secundada por Nuno Canta, com críticas para os eleitos da CDU nas duas autarquias que não concordam com o projeto. “Há um veto político das Câmaras CDU da Moita e do Seixal, o que tem causado este impasse com a ANAC e prejudicado o desenvolvimento de vários municípios que iriam beneficiar de forma concreta com o aeroporto.

Precisávamos de pessoas inteligentes para perceberem que é necessário um investimento destes para garantir emprego e desenvolvimento numa altura como a que o país se encontra.

Não se pode condicionar um investimento desta natureza aos interesses de cada uma das localidades, quando a maioria está de acordo e apenas uma minoria de duas autarquias estão contra, unicamente por questões políticas. Estes avanços e recuos não beneficiam estes políticos e menos ainda as populações, e terão de assumir essas responsabilidades.”

Na sua intervenção Carlos Almeida (CDU), apresentou uma declaração acerca do processo, no qual a CDU “lamenta que o Governo imponha à Vinci uma solução que não passa pelo Campo de Tiro de Alcochete, em Canha, logo também no concelho do Montijo”.

- publicidade -

Carlos Almeida referiu ainda que “aquilo que a lei obriga é um parecer favorável e as Câmaras Municipais da Moita e do Seixal deram pareceres desfavorável, mas a Câmara Municipal de Alcochete, de gestão PS, não apresentou qualquer parecer, portanto não venha agora apontar o dedo apenas às camaras CDU”.  

Sobre as propostas para o novo aeroporto o vereador relembrou que “o aeroporto no Montijo será um equipamento complementar, e é absolutamente ridículo tornar o actual aeroporto na Portela como um complemento do Montijo. A solução do Campo de Tiro é a que sempre devia ter estado em discussão, pela salvaguarda do meio ambiente, segurança das populações e pela possibilidade de expansão.”

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui