Setúbal

Aulas suspensas no Politécnico de Setúbal

- publicidade -

Após cancelar a 6.ª Feira de Empregabilidade, o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) decidiu suspender as suas atividades letivas até ao próximo dia 25 de março, considerando a dinâmica de evolução da propagação do COVID-19, já classificado como pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), e as recomendações do Conselho Nacional de Saúde.

Na nota publicada na página do IPS é dada conta que «apesar de, neste momento, não se registar entre a comunidade académica do IPS qualquer caso positivo da infeção pelo novo coronavírus, a instituição assume o dever de contribuir para o esforço nacional de prevenção, contenção e salvaguarda da saúde pública, suspendendo aulas teóricas, práticas, laboratoriais ou de natureza similar, assim como a aprendizagem em contexto clínico.

O novo despacho da Presidência, que pode ser consultado no portal da instituição, determina igualmente o encerramento ao público das bibliotecas, bem como da maioria das unidades alimentares, com exceção do refeitório do campus de Setúbal, localizado na Escola Superior de Tecnologia, e do bar da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro, que se mantém em funcionamento em horário reduzido, equivalente ao praticado em férias escolares.»

Estão também suspensas as deslocações previstas para países e/ou regiões onde se verifique transmissão comunitária ativa do COVID-19, bem como dos eventos calendarizados, entre conferências, seminários, cerimónias, iniciativas desportivas, aulas abertas, visitas de estudo, dias abertos, ou outros de natureza similar.

«O atendimento presencial à comunidade académica em vários dos serviços do IPS está igualmente interrompido e, no que toca ao Clube Desportivo IPS, encontram-se suspensas todas as atividades, incluindo-se aqui quer a prática autónoma por parte dos utentes, quer a utilização das instalações por equipas, internas e externas, de desportos coletivos».

No mesmo documento, a instituição garante que «estão assegurados os direitos dos estudantes e dos trabalhadores, através das medidas que se imponham como necessárias, quer no que respeita a calendários escolares e/ou de exames (eventuais alterações serão comunicadas oportunamente), quer no que toca ao recurso ao teletrabalho, quando estejam em causa situações vulneráveis».


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo