Almada

WeMob volta a cobrar estacionamento em Almada

- publicidade -

Após um período de interrupção na sua actuação na cidade de Almada, a WeMob (antiga Ecalma) vai retomar a sua actividade, após aprovação por unanimidade na reunião camarária desta tarde da cessação das medidas de isenção que vigoraram durante o período de confinamento devido à pandemia de covid19.

A presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês de Medeiros, explicou que “embora já estivesse previsto que a WeMob retomasse a sua actividade, até à data de hoje a empresa não tem actuado em pleno, foi apenas distribuindo avisos para relembrar às pessoas que vamos voltar à normalidade, e sobretudo para uma maior harmonia no nosso espaço público.

Atendendo à fragilidade da nossa população, optámos por cessar essas funções, mas agora queremos voltar a pouco e pouco à normalidade.”

A autarca frisou ainda que “ainda estamos sob o anterior regulamento, pese embora muita coisa corra por aí, com a criação de medos que são infundados” e destacou que “o novo regulamento vai incluir até alguns investimentos, que ainda estamos a ponderar, num ano particularmente difícil para estas empresas e portanto estamos a ir com calma, tendo em conta a necessidade de proteger o trabalho que esta empresa faz”.

Inês de Medeiros deixou também “mais uma vez”, um elogio “à administração da WeMob, pela capacidade de resiliência que demonstrou, e aos seus trabalhadores, que são muitas vezes vistos como os ‘odiados’. Ninguém quer ter multas ou ver a sua liberdade individual de deixar o seu carro onde quer e quando lhe apetece, colocada em causa.

Mas temos de ter em conta que o espaço público é de todos e temos a consciência da falta de lugares de estacionamento em algumas zonas do concelho, sobretudo na zona mais urbana e estamos a fazer um esforço para criar o máximo de respostas alternativas.

Mas a boa convivência só será possível, e a WeMob só deixará de actuar quando as pessoas se consciencializarem de que eles próprios são agentes fundamentais para a qualidade de vida do nosso território.”

A edil garantiu ainda que “desde o início da pandemia temos tomado todas as medidas necessárias para minimizar o esforço que é feito pelos residentes, mas assim como há que se queixe da intervenção da WeMob, há também muitos, muitos residentes que apelam a mais intervenção.

E compete à administração da empresa fazer este difícil equilíbrio entre a vontade de uns e de outros.

Os residentes têm direito a sair de casa e circular livremente nos passeios, e os que têm vontade que até pode ser legítima, de deixar os seus carros em certas zonas, mas que podem não estar contemplados no Código da Estrada.”

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo