AtualidadeBarreiro

Utentes e sindicatos contra pagamento de estacionamento no Hospital do Barreiro

publicidade

A União de Sindicatos de Setúbal/CGTP-IN, o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), o Sindicato Função Pública e Ilhas regiões autónomas e a Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do Barreiro assinam uma posição conjunta contra o pagamento do parque de estacionamento, medida recentemente implementada naquela unidade.

«O pagamento do parque constitui um aumento de encargos para trabalhadores/as e Utentes, numa instituição já financiada pelos mesmos pela via de impostos e taxas moderadoras» refere o comunicado.

«Por outro lado, é uma medida inconcebível e de extrema insensibilidade por parte deste Conselho de Administração, que, em plena pandemia, com os problemas socias e económicos conhecidos no país e no mundo, decide onerar os seus utentes e trabalhadores, criando assim, não só constrangimentos ao acesso a um serviço público de saúde, como também um sentimento de falta de reconhecimento pelo empenho dos profissionais de saúde neste contexto de saúde nacional/mundial.»

Reconhecendo que «era necessário fazer um investimento nesta instituição pública, nesta e outras áreas, que devem ser devidamente financiados pela via dos impostos/Orçamento do Estado e idoneamente geridas pelos CA» o comunicado refere que «já tinham também sido sinalizadas as questões de discriminação que este modelo de pagamento levanta, nomeadamente pelo facto de alguns trabalhadores terem seguramente menor dificuldade em pagar os 30 Euros mensais para garantir lugar no parque de estacionamento, o que para outros será seguramente mais difícil».

O comunicado acusa ainda que não foi respeitada a Lei de Bases da Saúde na consagração do ‘direito das pessoas intervir nos processos de tomada de decisão e na gestão participada das instituições do SNS’ (Lei de Bases da Saúde de 4 de Setembro de 2019), direito que evocámos quando solicitámos reunião com o CA que nunca agendou, apesar de ter enviado ofícios em resposta.»

Está também colocada em causa «a responsabilidade da entidade patronal em assegurar asseguradas as devidas condições de trabalho e de segurança dos seus trabalhadores, incluindo o direito ao livre acesso ao seu local de trabalho».

Ler mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios. Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site