Atualidade

Santuário de Fátima lamenta ‘campanha difamatória’ e nega situação de insolvência

Santuário de Fátima nega situação de insolvência

publicidade

O Santuário de Fátima emitiu esta terça-feira um comunicado no qual explica que está a decorrer um plano de reestruturação na instituição, que visa a redução de custos fixos, mas sem recurso a ‘despedimentos’.

«O Santuário reitera que as questões relacionadas com a manutenção dos postos de trabalho são determinantes.

Para além dos trabalhadores que pretendam aderir aos incentivos em curso para desvinculação voluntária, não está previsto um plano de despedimentos», disse a porta-voz da instituição, Carmo Rodeia, numa declaração lida aos jornalistas, na Cova da Iria.

O documento foi divulgado após o Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa, reunido em Fátima, ter manifestado a sua solidariedade aos responsáveis pelo Santuário nacional.

A nota oficial assinala que «graças ao generoso contributo dos peregrinos, a instituição não está, como nunca esteve, em falência nem numa situação de insolvência».

Segundo este comunicado «o Santuário de Fátima tem sido alvo de uma reiterada campanha difamatória que atinge a credibilidade da Instituição e a integridade moral dos seus corpos dirigentes».

O comunicado destaca ainda «as quebras graduais e sem precedentes no número de peregrinações organizadas à Cova da Iria, na ordem dos 99%, por causa da pandemia, que provocou uma quebra de 77% dos donativos.

À semelhança do que acontece com todas as outras entidades no nosso país, o Santuário viu-se obrigado a rever responsavelmente as suas opções orçamentais.»

O Santuário de Fátima informou que aumentou em 60% os apoios a famílias e pessoas carenciadas, durante a pandemia, e concedeu ajudas financeiras instituições de solidariedade social, a famílias carenciadas e à Igreja em Portugal, nomeadamente à Diocese de Leiria-Fátima, num total de mais de 780 mil euros.

O processo de redução de custos, relativo à massa salarial, passa por reformas antecipadas e rescisões amigáveis.

Durante este mês irá ter lugar no Santuário a aplicação de um novo de medidas de redução de gastos, «a implementar para um cenário de prolongamento da crise económica que se antevê» segundo ainda o comunicado.

Fonte: Agência Ecclesia

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui