Atualidade

PSP abre inquérito disciplinar após intervenção policial na Amadora

A direção nacional da PSP vai abrir um inquérito disciplinar à actuação de agentes ontem na Amadora

publicidade

Um vídeo com breves segundos mostram agentes da PSP com cassetetes alegadamente a bater num homem deitado no chão que resistiu à ordem de detenção.

A Direção Nacional da PSP anunciou já  em comunicado que abriu um inquérito disciplinar «relativamente a uma ocorrência policial verificada ontem, pelas 23h30, na Avenida Brasil, Falagueira – Venda a Nova, na Amadora».

No comunicado, é explicado que «a PSP foi alertada, por diversos cidadãos, da ocorrência de um desacato entre diversas pessoas, aparentemente embriagadas, junto a um estabelecimento de restauração e bebidas localizado na Avenida do Brasil, Vendas Novas, Amadora.

Chegados ao local, os polícias depararam-se com um grupo de cidadãos bastante exaltados, ameaçando-se mutuamente e em incumprimento das regras em vigor aplicáveis à prevenção da propagação da pandemia por COVID-19.

As ordens de cessação das ameaças e de dispersão, emitidas pelos polícias, não foram acatadas, obrigando a uma intervenção policial, que resultou na identificação e constituição de arguido de diversos cidadãos e na detenção de dois deles, por ameaças, injúrias e agressões aos policias.

Da intervenção e da concretização de uma das detenções, foi feito um vídeo amador, a que a PSP teve acesso.»

Segundo a PSP «por o vídeo ter registado procedimentos do uso da força cuja conformidade legal e regulamentar urge apurar, foi instaurado um processo de inquérito disciplinar».

O vídeo captado em telemóvel mostra um homem que luta com um polícia no chão e segundos depois quatro agentes da PSP surgem no local e usam os cassetetes nesse indivíduo que continua deitado no chão.

O vídeo foi analisado por Peixoto Rodrigues, ex-líder do Sindicato Unificado da Polícia, que deixou a sua opinião na página do sindicato com duras críticas para a decisão da Direção Nacional da PSP.

«Qualquer jurista estagiário, que consiga analisar este vídeo, certamente conseguirá visualizar que o suspeito se encontrava a ser imobilizado apenas por um agente, que o suspeito resistiu e conseguiu passar de baixo para cima do Polícia e que, só depois, os restantes colegas, com o objectivo de soltar o polícia no chão, desferiram as bastonadas em questão.

Nada de anormal, quando o efeito túnel acontece e o alvo continua a resistir, nenhum operacional, numa acção destas consegue ter percepção dos colegas ao lado.

Estamos fartos de gente de secretaria, que não entende nada de rua.»

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui