AtualidadecoronavírusDestaqueNacional

Portugal regista zero mortes em lares na última semana

- publicidade -

O país não registou na última semana mortes provocadas pela covid-19 em lares, pela primeira vez desde que começou a pandemia, anunciou hoje a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho.

“Esta é a primeira semana desde que começou a pandemia que não temos registos, do ponto de vista da nossa monitorização semanal de óbitos covid em lares”, afirmou a ministra, em declarações à agência Lusa à margem de uma visita à Associação Mais Proximidade, que apoia idosos isolados no centro de Lisboa.

Ana Mendes Godinho precisou que desde o dia 29 de março que não se registaram mortes associadas à covid-19 nos lares do país.

A governante notou que esta “semana zero” deve-se, essencialmente, à testagem preventiva que é feita aos trabalhadores dos lares, ao processo de vacinação em curso, assim como aos cuidados de quem trabalha nestes espaços e implementa “todas as medidas de prevenção”.

A ministra salientou, também, que estão neste momento ativos “18 surtos em todo o país, em lares”, o menor número registado desde o final de março, quando foi montado o sistema de monitorização que permite contabilizar estes dados.

“O objetivo é continuarmos com este cuidado permanente. Aliás vamos continuar com os testes preventivos aos trabalhadores até ao final de junho precisamente como uma medida de precaução”, concluiu.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.890.054 mortos no mundo, resultantes de mais de 133 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.899 pessoas dos 825.633 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui