AtualidadeDistritoLisboaPaís

Património Religioso de Torres Vedras alvo de intervenção

O Município de Torres Vedras anunciou recentemente ações de reabilitação e conservação em três edifícios de caráter religioso da cidade: a Igreja da Misericórdia, a Igreja de São João e a Ermida de Nossa Senhora do Ameal.

Estas obras “financiadas e apoiadas tecnicamente” pela Câmara Municipal surgiram através de protocolos celebrados pela autarquia com a Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras e a Fábrica da Igreja Paroquial de S. Pedro e Santiago.

Num investimento orçado em cerca de 100 mil euros, o conjunto de intervenções enquadra-se no objetivo de reabilitação e salvaguarda do património edificado do Concelho.

Em comunicado, o município sublinha os detalhes das obras intervencionadas nos templos.

Na Igreja da Misericórdia, a ação consistiu na lavagem integral da fachada e posterior pintura da mesma. “O edifício contíguo (edifício-sede da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras) foi incluído na mesma empreitada, tendo sido alvo de uma intervenção semelhante”, aponta autarquia.

No que concerne à intervenção realizada na Igreja de São João, o município dá conta que a mesma passou pela execução de diversos trabalhos de requalificação interior e exterior. “Com efeito, procedeu-se, nesta igreja anexa ao cemitério de São João, à limpeza geral das coberturas cerâmicas, à impermeabilização da cobertura plana existente e de algerozes interiores e à reabilitação e pintura de paredes exteriores e interiores, do teto e de vãos de madeira exteriores e respetivos gradeamentos”, acrescenta.

Na Ermida de Nossa Senhora do Ameal, classificada como monumento nacional desde 1910, também se executaram diversas intervenções de reabilitação, as quais foram devidamente autorizadas pela Direção-Geral do Património Cultural.

No exterior da ermida procedeu-se à “limpeza integral da cobertura cerâmica, à lavagem integral dos paramentos das fachadas, ao reboco destas e à posterior pintura, tendo ainda sido realizada a limpeza e pintura de caixilharias de madeira e gradeamentos”.

“As intervenções interiores na ermida passaram, na nave central e sacristia, pela limpeza de paredes (no caso da nave central efetuou-se também a limpeza do teto), pelo tratamento localizado dos rebocos deteriorados e pela posterior execução de pintura”, acrescenta a mesma fonte.



Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.