Opinião

Os orgasmos que não pude ter

- publicidade -

Tenho 60 anos, nasci e sinto-me mulher. Viúva há 20 anos, 3 filhos, 5 netos. A 6 anos da reforma. Tenho uma casa paga, com jardim e piscina, tenho carro pago e uma boa poupança do banco. Algumas maleitas próprias da idade.

Conheci um pouco de tudo nesta vida. Só não conheci a paixão. Nem por homem, nem por mulher. Amo os meus filhos, netos e amigos, a família que escolhi.

Mas paixão e desejo nunca conheci. Engravidei porque servi o meu marido e cumpri as minhas funções de mulher. Também quis ser mãe. Do primeiro filho, sim. Os outros dois, o meu marido impôs-se dentro de mim.

Fui maltratada nos partos, rasgada por dentro e por fora. Após o terceiro nascimento, o meu marido não se quis mais servir de mim. Já não me gostava.

Tenho 60 anos e comecei hoje, com a minha psicoterapeuta, a descobrir a minha sexualidade, o meu lado erótico, o meu corpo e a minha vagina. Masturbei-me pela primeira vez e acredito que vou aprender a amar-me e terei os meus primeiros orgasmos.

Acredito no meu direito ao prazer, ao belo e à paixão! Sim, leu bem: tenho 60 anos! E estou a (re)começar a minha jornada nesta vida!

A minha mãe disse-me que só as putas tinham orgasmos. Já não acredito nela! Acredito na minha mente, na minha vontade, no meu direito de ser e de amar. Em plenitude, sem amarras e sem tabus! Livre!


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *