AlmadaAtualidadecoronavírus

Hospital Garcia de Orta volta a registar crescimento de doentes internados por covid19

- publicidade -

O Hospital Garcia de Orta (HGO) registou esta quarta-feira, 20 de janeiro, um total de 181 doentes positivos por infeção por SARS-COV-2, dos quais 160 estão internados em enfermaria, 18 doentes em Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) e 3 doentes internados em Unidade de Hospitalização Domiciliária (UHD).

«O hospital volta a registar um crescimento dos doentes internados em enfermaria positivos para a infeção por SARS-COV-2 e a ajustar a lotação afeta à COVID-19, de modo a acomodar a necessidade do número de doentes internados positivos por infeção por SARS-COV-2» refere um comunicado enviado às redações.

tarot terapêutico

Na região de Lisboa de Vale do Tejo, o HGO tem sido um dos hospitais com maior volume de doentes infetados por SARS-COV-2, internados em enfermaria, refere o comunicado, e no universo dos hospitais daquela região, o HGO tem mantido uma taxa de esforço elevada e contínua, para prestar cuidados a doentes “Covid-19”.

«Para responder à elevada pressão assistencial e à procura significativa de doentes “Covid” e doentes “não Covid”, o hospital converteu mais 20 camas do Serviço de Medicina 2, para desse modo poder ter mais camas disponíveis para tratar doentes “Covid”.»

No decorrer da articulação regional permanente com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, o Hospital Garcia de Orta transferiu no dia 19 de Janeiro dois doentes para outros hospitais e tem a totalidade das vagas ocupadas.

A nível local, dos concelhos de Almada e Seixal, o HGO conta com o prolongamento de horário das áreas, dos Centros de Saúde, dedicadas a doentes respiratórios – ADR – do Laranjeiro e do Seixal, com disponibilidade atual até às 20h00, de segunda a domingo.

O Hospital Garcia de Orta apela à população que serve dos Concelhos de Almada e Seixal, para, que em caso de doença, recorra em primeiro lugar ao Médico de Família/Centros de Saúde.

Em caso de sinais e sintomas compatíveis com doença respiratória, a população dever dirigir-se primeiro às áreas dedicadas para doentes respiratórios – ADR – dos Centros de Saúde – reservando as situações mais complexas, graves, agudas e urgentes para serem assistidas no hospital.

O HGO permanece no nível III do seu Plano de Contingência, apresentando à data de hoje uma taxa de ocupação superior a 250%, relativamente ao que previa o Plano de Contingência, nomeadamente de 66 camas em enfermaria e 9 de cuidados intensivos, destinadas a doentes positivos para SARS-CoV-2.

O HGO continua a trabalhar para, no final do mês de janeiro poder expandir a Área Dedicada ao Atendimento de Doentes Respiratórios (ADR) do Serviço de Urgência Geral e poder abrir uma nova Enfermaria, em estrutura modular, mediante disponibilidade de recursos humanos.

Uma vez mais, o HGO agradece «o elevado esforço, dedicação e compromisso dos seus profissionais» e garante que «continuará a adotar as soluções adequadas para aumentar a capacidade de resposta aos doentes».

- publicidade -

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui