coronavírusDestaque
Em Destaque

Hospital Garcia de Orta admite sobrelotação nas urgências na área respiratória

- publicidade -

O Hospital Garcia de Orta volta a apresentar uma actualização sobre os internamentos devido ao covid19 e a administração indica «um crescimento dos doentes internados em enfermaria, positivos para a infeção por SARS-COV-2 e a necessidade de reajustar a lotação afeta à COVID-19, para acomodar a necessidade do número de doentes internados positivos por infeção por SARS-COV-2».

O Hospital Garcia de Orta regista hoje, dia 30 de janeiro de 2021, um total de 234 doentes positivos por infeção por SARS-COV-2, dos quais 197 estão internados em enfermaria, 27 doentes em Unidade de Cuidados Intensivos (UCI) e 10 doentes internados em Unidade de Hospitalização Domiciliária (UHD).

«Numa semana, de 23 a 30 de janeiro, o HGO verificou um aumento de 201 para 234 doentes, um crescimento de 17% de doentes internados. Em UCI, esse aumento e na mesma semana, foi de 50%. Dos 18 doentes internados em UCI, no dia 23 de janeiro, o HGO conta hoje com 27 internados em UCI» refere a nota do Hospital.

O Hospital mantém a sobrelotação do Serviço de Urgência Geral, na vertente da área respiratória.

O HGO permanece no nível III do seu Plano de Contingência. A taxa de ocupação de camas por doentes, em Enfermaria e em UCI, em função das camas disponibilizadas pelo hospital, no Nível de Contingência que planeou, situa-se hoje nos 312%.

O Plano de Contingência do HGO previa, no nível III, as seguintes camas destinadas a doentes positivos para SARS-CoV-2: 66 camas em enfermaria, 9 de cuidados intensivos e 5 em Unidade de Hospitalização Domiciliária.

Considerando elevada procura e pressão assistencial que se mantêm, o HGO está a analisar e a trabalhar com a Proteção Civil dos concelhos de Almada e do Seixal, no sentido de ser melhorada a resposta pré-hospitalar.

Nos últimos três (3) meses, o HGO tem mantido uma taxa de esforço elevada e contínua, sendo um dos hospitais da Região de Lisboa e Vale do Tejo com maior número de doentes Covid, internados em enfermaria e cuidados intensivos.

O Hospital Garcia de Orta (HGO) apela uma vez mais à população dos Concelhos de Almada e Seixal, para que, em caso de doença, recorra em primeiro lugar ao Médico de Família/Centro de Saúde.

Em caso de sinais e sintomas, compatíveis com doença respiratória, a população deve dirigir-se primeiro às áreas dedicadas para doentes respiratórios – ADR – da Trafaria e do Seixal que, aos sábados e domingos, funcionam entre as 8h00 e as 20h00. O HGO alerta a população para que reserve as situações mais complexas, graves, agudas e urgentes para serem assistidas no hospital.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui