Atualidade

GNR organizou passeios para sensibilizar motociclistas

publicidade

A Guarda Nacional Republicana, realizou este domingo, durante o período da operação “Moto” 2020, diversos passeios motociclistas, em praticamente todos os distritos do país, com vista à sensibilização dos condutores de veículos de duas rodas, no sentido de prevenir comportamentos de risco durante a condução de motociclos e ciclomotores, nas vias com maior intensidade de tráfego.

Em cada passeio, com a duração de cerca de três horas, marcaram presença apenas 20 participantes, para não perturbar a circulação rodoviária durante o percurso efetuado, garantindo igualmente as normas definidas durante o estado de alerta, contingência e calamidade. Estiveram envolvidos militares motociclistas e membros de grupos motociclistas de várias regiões do país.

A operação Moto e os passeios têm como objectivo alertar para os riscos que constituem os condutores de veículos com duas rodas a motor, devido às consequências habitualmente graves em acidentes.

Esta foi uma iniciativa que pretendeu sensibilizar todos os utentes da via, especialmente os motociclistas e inverter a tendência de aumento da sinistralidade, contribuindo para um ambiente mais seguro.

De notar que, desde o início do desconfinamento, em maio, cerca de 1/3 das vítimas mortais, no âmbito da sinistralidade rodoviária, foram motociclistas.

Ao todo estiveram empenhados 68 militares da GNR, tendo sido sensibilizados cerca de 330 motociclistas, os quais foram, entre outras coisas, aconselhados a: usar o capacete, vestuário de proteção resistente e material retrorrefletor; circular sempre com os médios acesos, para serem vistos; não circular entre filas de veículos; adequar a velocidade ao estado do piso; garantir as distâncias de segurança e praticar uma condução defensiva.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui