AtualidadeLisboa

GNR auxiliou idosa debilitada na Lourinhã

- publicidade -

O Comando Territorial de Lisboa da GNR informa em comunicado que militares do Posto Territorial da Lourinhã socorreram, no dia 23 de março, uma idosa de 80 anos que estava incontactável, no concelho da Lourinhã.

Na sequência de um alerta por parte da filha da octogenária alegando que não conseguia contactar a sua mãe que vivia sozinha, os militares da Guarda deslocaram-se rapidamente para o local e encetaram desde logo diligências policiais para a localizar.

Ao acionarem a campainha da sua residência, ouviram um pedido de socorro vindo do interior da habitação, tendo encontrado a idosa caída no chão da sala e consciente, aparentando estar bastante debilitada.

Por esse motivo, foi acionada a assistência médica para o local, tendo sido transportada para a unidade hospitalar de Torres Vedras, para avaliação do seu estado de saúde.

A GNR acautela para situações de desaparecimento de idosos, e alerta para que os familiares devem estar cientes se os idosos ainda estão nas suas plenas capacidades físicas e psíquicas, para poderem sair de casa sozinhos, sem correrem o risco de se perderem; devem procurar conhecer as rotinas dos idosos e ter informação sobre o local para onde estes pretendem ir quando saem de casa, para que, no caso da chegada tardar mais do que o previsto, possam por aí iniciar a sua procura.

Sempre que possível, os idosos devem fazer-se acompanhar de um telemóvel ligado, para que, em caso de necessidade, possam contactar ou serem contactados pelos seus familiares e, em caso de desaparecimento, serem mais facilmente localizados através de localização celular e devem ter sempre na sua posse os contactos dos seus familiares, para que, em caso de desorientação, outras pessoas possam entrar em contacto com os mesmos.

A GNR realiza também, através das Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário, com o reforço dos militares dos Postos Territoriais, ações de proximidade que vão desde o levantamento/georreferenciação de situações em que os idosos vivem sozinhos e/ou em locais isolados, até à realização de ações de sensibilização e informação, visitas, sinalização de casos problemáticos e respetivo encaminhamento para as Instituições de Apoio Social locais e na participação em equipas multidisciplinares de intervenção e acompanhamento.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui