Fernando Negrão defende Bruno Vitorino, acusado de comentários homofóbicos

Líder da bancada parlamentar do PSD defende "legitimidade da crítica" de Bruno Vitorino.

0
150
Tempo de Leitura: 1 minuto

Fernando Negrão, líder da bancada do PSD, escreveu a Ferro Rodrigues a “censurar” a decisão de deputadas do Bloco de Esquerda que anunciaram uma queixa contra Bruno Vitorino por comentários homofóbicos.

Em causa está uma palestra numa escola do Barreiro, cujo valor das inscrições reverteram a favor de uma associação defensora dos direitos LGBTI.

De acordo com o jornal Público, Fernando Negrão disse “acompanhar a legitimidade da crítica” do deputado e enviou a carta os parlamentares do PSD, por e-mail, estando “a receber muitas mensagens de apoio”.

Bruno Vitorino fez um comentário na rede social Facebook contra uma palestra na escola EB 2/3 Quinta da Lomba, no Barreiro, dirigida a alunos entre os 11 e os 13 anos, para “promover a igualdade de género” e “sensibilizar os alunos para as diferentes orientações sexuais”.

O deputado do PSD indignou-se e considerou a acção uma “vergonha” e uma “porcaria”. Joana Mortágua e Sandra Cunha, do Bloco de Esquerda, anunciaram que vão apresentar queixa na Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

“A queixa não tem fundamento pelo seu objecto não configurar qualquer discriminação de género ou expressão homofóbica”, lê-se no texto de Negrão, citado pelo Público.

Na mesma carta, o líder da bancada do PSD questiona “a pertinência” destas ações junto de crianças nesta faixa etária.

“Há momentos em que o silêncio deve ser de todo afastado. Este é um desses momentos”, escreveu ainda Fernando Negrão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome