coronavírusDistrito SetúbalPolítica

Distrital do CDS-PP apresenta conjunto de propostas para apoio a idosos

- publicidade -

A Comissão Política Distrital do CDS Setúbal apresentou um conjunto de medidas de proximidade que podem ser aplicadas pelas Juntas de Freguesia do distrito.

«Uma das grandes prioridades do CDS, neste novo ciclo, é o apoio à terceira idade, em especial aos idosos mais frágeis e àqueles que mais dependem do apoio do Estado para uma velhice com qualidade de vida» refere João Merino, presidente da Comissão Política Distrital.

Além da preocupação com a situação frágil dos mais idosos, surge agora a pandemia do Covid-19 «que ameaça brutalmente esse segmento da população, quer pela sua vulnerabilidade à doença, quer pela situação carenciada em que muitos vivem.

Por outro lado, o isolamento social a que estamos condenados privou muitas pessoas dos apoios, das ajudas e da rede com que contavam habitualmente, já tantas vezes precária ou até inexistente» lamenta João Merino.

Por estes motivos, a direcção do CDS decidiu, em conjunto com os coordenadores dos concelhos de autarcas, desenhar um pacote de medidas de apoio aos idosos, que hoje é divulgada e que podem encontrar no documento anexo.

Os autarcas CDS do distrito de Setúbal têm estado a apresentar este pacote de medidas em todas as freguesias do distrito, «num espirito de colaboração, pro-actividade e construção de soluções para este fenómeno tão brutal nas nossas vidas e que tanto afecta a sociedade, mais concretamente os mais velhos».

As medidas apresentadas são as seguintes:

  1. SERVIÇOS E VOLUNTARIADO: Identificação, pelas Comissões Sociais de Freguesia em articulação com a GNR, dos idosos mais vulneráveis que, pela sua situação de risco, doença ou isolamento necessitem de apoio excepcional; Criação ou reforço de uma Bolsa de Voluntários para apoio domiciliário aos idosos, com recurso à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários, as Misericórdias e as Instituições Particulares de Segurança Social da região;  Criação de linhas telefónicas de apoio psicológico e jurídico, que sirvam também para a fomentar a literacia e a informação.
  2. TRANSPORTES E DISTRIBUIÇÃO: Criação ou manutenção de um serviço de transporte porta-a-porta que apoie as deslocações essenciais de pessoas idosas ou com mobilidade limitada; Criação de um programa de Estafetas, que garanta o apoio à compra e entrega domiciliaria de bens essenciais aos idosos e aos que, pela sua situação, não devam sair de casa; Recolha e entrega domiciliária de alimentos, medicamentos, artigos de higiene e outros bens essenciais a idosos carenciados; Apoio no transporte de profissionais de saúde para serviço domiciliário; Negociação com a rede de supermercados da criação de um horário específico de atendimento a idosos.
  3. APOIOS SOCIAIS E PROXIMIDADE: Alojamento imediato e obrigatório de pessoas em situação de sem abrigo, nomeadamente em os centros de acolhimento; Incentivo ao desenvolvimento de soluções integradas de base tecnológica e humana que permitam o acompanhamento de pessoas idosas, de forma a contribuir para diminuir o isolamento e promover a inclusão social e as relações afectivas, potenciando o essencial sentimento de segurança para a permanência no seu domicílio; Divulgação e apoio à instalação doméstica de programas de telecomunicação, para contacto entre idosos e as suas famílias; Criação de uma rede de cozinhas comunitárias e apelo à colaboração de restaurantes locais, para assegurar a confecção de refeições a distribuir por idosos e carenciados; Apoio no passeio de animais de estimação de idosos, ou com mobilidade limitada.
  4. PROTECÇÃO E PREVENÇÃO: Apoio na sensibilização dos mais resistentes a permanecer em casa; Divulgação intensiva dos números da linha “Saúde 24” (808242424), da linha de dúvidas sobre assistência a familiares, baixas e quarentena (300 502 502) e de todos os contactos de apoio à distância; Divulgação intensiva de informação sobre higiene e precauções a tomar para prevenir contágios, preferencialmente porta a porta, por exemplo através de folhetos; Apoio na sensibilização e divulgação da campanha de combate a burla, com a colaboração das forças de segurança.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui