Atualidadecoronavírus

Covid19 | Casamentos, baptizados e eventos com testagem recomendada

- publicidade -

Para além do ‘tradicional’ convite, os participantes em casamentos e baptizados, além de eventos, vão ser aconselhados a apresentar um teste negativo ao covid19 quando participarem em eventos com mais de dez pessoas.

A recomendação da DGS foi publicada na noite de terça-feira, mas a medida tinha sido adotada na semana passada pelo Conselho de Ministros.

A norma, referente à Estratégia Nacional de Testes para a SARS-CoV-2 recomenda «a realização de rastreios laboratoriais em eventos familiares, designadamente casamentos e batizados, bem como quaisquer outras celebrações similares, com reunião de pessoas fora do agregado familiar, aos profissionais e participantes sempre que o número de participantes seja superior a dez».

Também em eventos de natureza cultural ou desportiva, a testagem é recomendada «sempre que o número de participantes/espectadores seja superior a mil, em ambiente aberto, ou superior a 500, em ambiente fechado».

Já se for em espaço aberto, o limite é de mil pessoas. Esta norma é não só para os espectadores, mas também para participantes e organizadores.

Em contexto laboral, nos locais de maior risco de transmissão, como as explorações agrícolas e o setor da construção, aconselha-se a testagem com uma periodicidade de 14/14 dias, pode ler-se na norma da DGS.

Esta recomendação é igualmente aplicada em serviços públicos e locais de trabalho com 150 ou mais trabalhadores, independentemente do seu vínculo laboral, da modalidade ou da natureza da relação jurídica, adianta ainda.

As empresas com mais de 150 trabalhadores vão ter de fazer rastreios regulares à covid-19, de 14 em 14 dias.

Em todos os casos, os testes podem ser por antigénio ou PCR e, ao contrário do que tem sido pedido por várias entidades, os rastreios são pagos.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui