bombeiros

Covid-19: Governo vai começar a pagar o apoio extraordinário aos bombeiros neste mês

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil transfere este mês a primeira tranche dos três milhões de euros.

- publicidade -

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil transfere este mês a primeira tranche dos três milhões de euros de apoio extraordinário destinado a ajudar os bombeiros, no contexto da pandemia de covid-19, foi hoje anunciado.

O apoio extraordinário tem como destino as associações humanitárias de bombeiros voluntários, para ajudar as corporações a enfrentar as dificuldades financeiras criadas pela pandemia, afirma o Ministério da Administração Interna (MAI), em nota de imprensa.

A primeira tranche que será transferida este mês corresponde a 1,5 milhões de euros.

Os restantes 1,5 milhões de euros de apoio extraordinário serão pagos no mês de julho, acrescenta o MAI.

“Os três milhões de euros serão distribuídos de acordo com a proporção do financiamento permanente atribuído” a cada associação humanitária, esclarece a tutela.

Segundo o ministério, o empenhamento das corporações no contexto da pandemia “tem contribuído para o agravamento da situação financeira” das associações humanitárias, através de despesas adicionais “com a aquisição de equipamentos de proteção individual e pelos cortes sofridos nas receitas oriundas do transporte de doentes”.

Em 2020, o Governo já tinha transferido para as corporações cerca de dois milhões de euros de apoio excecional e temporário devido à pandemia, recordou o MAI, salientando ainda que a tutela quase duplicou o valor da transferência anual para o Fundo de Proteção Social dos Bombeiros.

O Orçamento do Estado para 2021 prevê um financiamento de 28,6 milhões de euros para as corporações de bombeiros, ao qual acrescem os três milhões de euros de apoio extraordinário.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui