Covid-19 faz soar alarmes na plataforma logística da Sonae na Azambuja

Foram testados para a covid-19 e o resultado foi quarenta trabalhadores da empresa de logística Sonae deram positivo.

DIÁRIO DO DISTRITO IMAGENS
publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

Quem dá o alerta é o presidente da Câmara Municipal de Azambuja, Luís de Sousa (PS), refere que existem 40 casos positivos no entreposto da Azambuja da Sonae MC. Os cerca de 800 trabalhadores da empresa já iniciaram os testes ao novo coronavírus e espera-se o resultado.

Em declarações à agência Lusa, o autarca disse “segundo me disseram, os testes poderão ficar concluídos esta quinta-feira”.

No entanto uma fonte da Sonae MC adiantou que a empresa já terá implementado um conjunto de medidas para “minorar o problema”, medidas essas que vão desde o desfasamento dos horários dos turnos à duplicação de autocarros que transportam os trabalhadores até aos armazéns.

Ressalvou ainda que um terço dos trabalhadores é que usa os comboios para chegar à Azambuja, estando a empresa a reforçar, há já várias semanas, o serviço de autocarro.

Outras medidas foram colocadas em prática na empresa, como a medição de temperatura a todos os trabalhadores antes de entrarem nas instalações dos seus entrepostos, reforçou ainda a entrega de máscaras e de higienização das instalações e dos veículos de transporte de mercadorias.

Mas o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) defende a abrangência maior de testes aos trabalhadores da Sonae.

Ricardo Mendes, dirigente do CESP, disse à Lusa que “A Sonae está agora a seguir uma série de recomendações que nós já fizemos há muito tempo, mas ainda são insuficientes. É necessário que sejam testados os cerca de 3.000 trabalhadores que fazem parte de todos os setores da Sonae na Azambuja e que seja alargado o transporte e o número de máscaras que é distribuído”.

A Sonae é assim a segunda empresa da Plataforma Logística de Azambuja onde foi detetado um número significativo de casos com o novo coronavírus.

No passado dia 2 de maio, a empresa Avipronto foi obrigada a encerrar provisoriamente depois de detetados 38 casos positivos de covid-19.

Foram testados 300 funcionários onde foram detetados 101 casos positivos. A empresa acionou todo o seu plano de contingência e já retomou no passado dia 11 a laboração com um número reduzido de trabalhadores – 30 trabalhadores – e divididos em dois turnos.

Na plataforma logística da Azambuja (Vila Nova da Rainha) operam cerca de 230 empresas e trabalham mais de 8.500 trabalhadores, muitos chegam aos seus locais de trabalho vindos de Lisboa e de comboio.

 

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome