CDU de Vila Franca de Xira insiste na celebração das Festas do Colete Encarnado

publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: 2 minutos

Os eleitos pela CDU na Assembleia de Freguesia de Vila Franca de Xira consideram que as Festas do Colete Encarnado devem ser celebradas «com todas as previdências e cumprindo com as recomendações da direcção Geral de Saúde» e instam os moradores a participarem e organizarem tertúlias.

Em causa está, segundo os eleitos, o facto de «o executivo PS/PSD no município, não ter tido qualquer interesse em ‘vestir’ a cidade a rigor para celebrar a nossa maior festa» refere uma nota publicada na página do Facebook.

«As Tertúlias, espaços de história viva da cultura tauromáquica e todos os Tertulianos e Vilafranquenses, têm aqui, neste ano tão atípico do Colete Encarnado, um enorme e vital desígnio naquilo deve ser a manifestação pública do nosso amor à Tauromaquia, da defesa das nossas tradições, da afirmação da nossa identidade cultural, que tão bem nos distingue neste nosso Portugal.»

Os eleitos da CDU pretendem assim «prestar homenagem à figura ímpar, do Ribatejo, da Lezíria, que à beira do Tejo nos repousa o olhar na sua imensidão, do trabalho no Campo – O Campino.

Este será o quarto ano em que o Colete Encarnado não será realizado, por decisão do município, face à existência de uma pandemia que nos assolou e alterou grande parte dos nossos hábitos de vida e de relacionamento social.»

Os eleitos acusam ainda o Governo, e em particular do Ministério da Cultura» de um «desacerto legislativo e ataque profundo por parte do Governo do PS, à Tauromaquia», ao não permitir a reabertura da Praça de Toiros Palha Blanco.

E lançam um desafio aos moradores «as Tertúlias, espaços de história viva da cultura tauromáquica e todos os Tertulianos e Vilafranquenses, têm aqui, neste ano tão atípico do Colete Encarnado, um enorme e vital desígnio naquilo deve ser a manifestação pública do nosso amor à Tauromaquia, da defesa das nossas tradições, da afirmação da nossa identidade cultural, que tão bem nos distingue neste nosso Portugal.

Saibamos celebrar o Colete Encarnado, mesmo em tempo hostil, engalanando e abrindo as tertúlias, colocando música à porta ou janela de cada uma delas, promovendo a decoração das varandas, já que o executivo PS/PSD no município, não teve qualquer interesse em “vestir” a cidade a rigor para celebrar a nossa maior festa.»

Os eleitos pretendem ainda que seja criado um movimento popular para exigir à Câmara Municipal «um pré programa da Feira de Outubro, onde tenha um cenário de possibilidade de realização da maior parte dos eventos previstos».

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome