AlmadaPolítica

CDS-PP Almada quer saber situação dos lares legais e ilegais do concelho

publicidade

Em nota de imprensa, o CDS-PP de Almada dá o teor do requerimento enviado à Câmara Municipal de Almada no sentido de obter o ponto da situação dos lares legais e ilegais no concelho do conhecimento da autarquia.

«Em resultado da tragédia ocorrida no lar de Reguengos de Monsaraz, o CDS-PP chama novamente a atenção para o cuidado e o acompanhamento que as entidades responsáveis devem ter para com os lares de idosos, neste caso em concreto, também no concelho de Almada.

Através de Requerimento, o deputado municipal do partido no concelho de Almada, António Pedro Maco, pretende saber «dentro daquelas que são as atribuições e competências da autarquia de Almada, quantos lares e centros de dia no concelho têm idosos e funcionários infectados com covid19, no momento e que medidas estão a ser implementadas para evitar mais transmissões do vírus nos respectivos lares», e ainda «se os lares e centros de dia do concelho de Almada continuam a ser testados, e a seguir as recomendações da Direcção Geral de Saúde (DGS)».

O CDS-PP inquiriu ainda sobre «quantas óbitos ocorreram em lares e centros de dia desde o início da pandemia provocados directa ou indirectamente pelo covid19 em Almada, quantos lares ilegais ou a necessitarem da exigência do cumprimento das normas estabelecidas para o normal e regular funcionamento em termos de segurança e qualidade de vida para os utentes, identifica a câmara municipal tal como tendo em considerando as competências e atribuições das autarquias na matéria em discussão a par das do Estado, que diligências dentro da sua responsabilidade, está a câmara municipal a tomar para resolver as ilegalidades e os incumprimentos detectados nesses lares».

Ler mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui