Bébé é tratada fora do útero e colocada novamente para prosseguir gestação

Procedimento inovador foi realizado no Reino Unido.

0
325
Clínica Qualitá
Tempo de Leitura: 1 minuto

Uma grávida submeteu-se a um procedimento inovador em que viu a sua bebé ser retirada temporariamente do útero para ser tratada, sendo depois colocada novamente no ventre materno.

Segundo o jornal The Mirror, os testes feitos a Bethan Simpson, de 26 anos, revelaram que a criança sofria de espinha bífida. Ao casal foi dada a opção de interromper a gravidez, mas depois de uma pesquisa, decidiram avançar com o procedimento.

Este tipo de intervenção já tinha sido feita na Bélgica, mas uma equipa de cirurgiões belgas e britânicos colocou-a em prática em Londres.

“As nossas vidas foram uma montanha russa nas últimas semanas. Tivemos que fazer isso e ceder a alguns critérios”, revela Bethan, que verá a filha nascer em abril.

A espinha bífida é uma anomalia congénita do sistema nervoso que se desenvolve nos primeiros meses de gestação. Existe um defeito na formação do tubo neural  (estrutura embrionária que dará origem ao cérebro e à medula espinhal), ocorrendo um desenvolvimento incompleto do cérebro, da medula e das meninges.

Esta anomalia pode ser uma causa importante de mortalidade infantil e, em caso de sobrevivência, pode afetar a capacidade de uma criança andar.

“Infelizmente, 80% dos bebés na Inglaterra são abortados quando os pais são informados de que os seus filhos têm esta condição”, referiu a jovem mãe.

A cirurgia envolveu a retirada do feto do útero de Bethan, às 24 semanas de gestação, para ser reparada a medula espinhal. A bebé foi então colocada novamente no útero para o restante da gravidez que, segundo o  casal, está a decorrer normalmente.

“Não é uma sentença de morte. Sinto a nossa bebé mexer dia após dia. Ela é muito especial”, concluiu Bethan.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome