Cantinho da Bicharada

BARREIRO – Edifício devoluto transformado em armadilha mortal para gatos

- publicidade -

«Um buraco, uma conduta e uma queda, abrupta, seca, numa armadilha fatal. Subir é impossível, sair também. A porta de vidro está trancada. Primeiro miam, e como miam! Têm medo, está escuro e estão rodeados de cadáveres de outros gatos. Não há alimentos, nem água.»

Esta é a descrição feita da armadilha mortal para gatos em que o n.º 89B, na Avenida Alfredo da Silva, no Barreiro, se transformou.

Conhecido por ser o local onde no passado funcionou o centro comercial «Barreiro Fórum», o local está agora encerrado e entregue a dois bancos e uma agência imobiliária.

Mas uma abertura no telhado transformou-se numa ‘ratoeira’ para os gatos que frequentam o local e ali são alimentados pelos moradores.

Em duas semanas, foram necessárias duas acções de resgate de gatos, que após terem caído para dentro do edifício pediam socorro em altos miados.

E da primeira vez que o socorro entrou no local, depararam-se com um cenário aterrador, conforme explicou ao Diário do Distrito Suzel Costa, da Associação 1.618 Dignidade Animal.

“Fomos alertados por um morador por causa dos miados, no dia 27 de Setembro, e disseram-nos que podiam estar lá mais gatos. Avisámos a agência imobiliária que vieram abrir a porta com os Bombeiros e a PSP. E o cenário foi horroroso, cerca de duas dezenas de cadáveres de gatos, alguns já totalmente desfeitos. Na altura recolhemos com vida uma gatinha bebé, a Vitória.”

Elementos do canil intermunicipal foram depois fazer a limpeza do espaço e retirar os cadáveres dos animais.

No dia 1 de Outubro, a situação repetiu-se, novamente com alertas de miados no interior do espaço. Nessa noite e perante a ausência de representantes da agência imobiliária, foi chamada ao local a PSP e os Bombeiros de Sul e Sueste, que não puderam intervir por se tratar de um espaço privado.

No entanto, elementos da Associação conseguiram aceder ao local, embora não encontrando nessa ocasião qualquer animal ali, mas tendo deixado água e alimento.

Para Suzel Costa, “é fundamental que os serviços municipais, por meios próprios ou por intervenção legítima de terceiros, tomem as medidas mais adequadas que possam garantir a segurança dos gatos que por ali circulam. Tratam-se de medidas urgentes e de caráter absolutamente prioritário, pois são vidas que estão em causa e que se têm perdido num sofrimento inimaginável.”

O Diário do Distrito questionou o gabinete de Relações Públicas do Comando Distrital de Setúbal, que nos responderam dando conta que “foram accionados por duas vezes patrulhas para o local e a situação teve resolução no imediato, tendo sido accionados os parceiros sociais e enviada informação para o Ministério Público e para o Delegado de Saúde. Foi ainda verificado que não ficaram felinos encerrados no local.”

- publicidade -

Sobre o que pode a população fazer em casos semelhantes a resposta é de que “devem sempre contactar as autoridades, que irão fazer acionar os seus parceiros sociais para resolver a situação e proceder ao salvamento dos animais”.

Foram também contactados os serviços da Câmara Municipal do Barreiro e a agência imobiliária, que apesar de terem tido acesso aos emails enviados a 1 de Outubro, ainda não responderam ao Diário do Distrito.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo