DistritoDistrito SetúbalMontijo

Autarquia do Montijo esclarece sobre processo de compra do prédio Trabatijo

publicidade

Numa «nota de esclarecimento» emitida pelo Gabinete da Presidência e enviada à comunicação social, o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, explica o processo de compra do edifício da Pluricoop/Trabatijo.

«Algumas opiniões recentemente expressas na comunicação social impõem os seguintes esclarecimentos:

  1. O Presidente da Câmara informou todos os senhores vereadores, durante o processo de aquisição do prédio onde funcionava o supermercado da PLURICOOP, igualmente conhecido como a sede da antiga Cooperativa de Abastecimento dos Trabalhadores do Montijo – Trabatijo, que era vontade do Município adquirir o imóvel para fazer parte do património municipal e assim preservar a memória histórica dum edifício erguido pelo povo do Montijo. Desse facto deu também conhecimento aos montijenses.
  2. Nos termos da lei, a aquisição do património histórico da antiga Cooperativa Trabatijo depende, para todos os efeitos, da vontade de venda dos proprietários e locatários e ainda da intenção de compra da Câmara Municipal, que livremente acordaram o valor de 194.668,20€ como o valor justo para a compra e venda do imóvel.
  3. Antes da assinatura da escritura de compra e venda do edifício da falida PLURICOOP, e para evitar equívocos perante a campanha especulativa da oposição sobre o preço negociado para a aquisição do imóvel, o Presidente da Câmara decidiu preceder a uma avaliação do valor de mercado do prédio por meio de entidade independente certificada.
  4. Assim, ao contrário de algumas opiniões publicadas, o relatório externo de avaliação do valor de mercado do imóvel do antigo espaço da falida PLURICOOP demonstra claramente que estamos perante bom negócio para a Câmara, pois os especialistas avaliaram o imóvel com um valor de venda como novo de 424.000,00€, e com um valor de venda depreciado em 60% de 238.000,00€, o que, mesmo para os mais céticos, prova que o valor negociado pelo Presidente da Câmara garante o interesse público.
  5. Apesar do negócio para aquisição do edifício que pertencia à histórica Cooperativa de Abastecimento dos Trabalhadores do Montijo – Trabatijo estar relacionado com a falência ruinosa da PLURICOOP, os documentos entre privados tornados públicos pelos meios de comunicação demonstram que o mesmo é propriedade da Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, desde 2014, e encontra-se cedido por contrato de leasing com opção de compra a um privado, desde 2017, sendo, portanto, totalmente falso afirmar que a aquisição do prédio poderia ser realizada no processo de venda judicial da massa falida da PLURICOOP.
  6. O Presidente da Câmara Municipal do Montijo esclarece que vai continuar a engradecer o património dos montijenses com a compra de outros imóveis relevantes na história do Montijo, como foi o exemplo deste imóvel da falida PLURICOOP, do imóvel da antiga Cooperativa de Abastecimento do Bairro do Areias, do imóvel da Cooperativa de Habitação do Bairro Almansor na Vila de Canha, entre outros, cumprindo com todos os compromissos estabelecidos com os cidadãos para uma politica pública de defesa do património histórico e da cultura do povo montijense.»

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui