Cultura

Atividade cultural “não pode parar”, diz António Costa

- publicidade -

António Costa defende que apesar da pandemia, a atividade cultural não pode parar e deve continuar adaptada à situação atual.

Nos jardins de São Bento, após ter inaugurado a exposição de obras de arte contemporânea de artistas portugueses da Coleção Figueiredo Ribeiro, o primeiro-ministro afirmou que a cultura “tem de continuar, não pode parar, apesar das circunstâncias.

“Como em tudo o resto na vida, não podemos parar, temos de continuar, embora adaptados a esta realidade que temos de enfrentar”, sublinhou.

No âmbito da iniciativa “Arte em São Bento”, António Costa conta que “quisemos assinalar assim o Dia da República, o 5 de Outubro, representando o Portugal de hoje. E o Portugal de hoje é o país que, em grande medida, os artistas desenham e expressam na cultura contemporânea do nosso país”.

Deixou também uma mensagem de apreço “pelo esforço que os colecionadores vão fazendo, o seu compromisso com a arte, porque a arte precisa também de quem invista e de quem a valorize. Por outro lado, procuramos fora de Lisboa, porque há muito mais país para além de Lisboa e há muitas coleções cuja existência é desconhecida para muitas pessoas”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui