AtualidadeDestaqueNacional

Arsenal do Alfeite volta a ter academia de formação em indústria naval

- publicidade -

O Ministério da Defesa anunciou o lançamento da Academia do Arsenal, instituição que tem origem na escola de formação que funcionou durante anos nas instalações do Arsenal do Alfeite, e que pretende qualificar profissionais da indústria naval.

Segundo comunicado oficial da tutela, a Portugal Defence e o Consórcio de Escolas de Engenharia assinaram um “memorando de entendimento” que pretende promover “uma maior ligação entre universidades, centros de investigação e empresas da economia da Defesa”. 

“O primeiro projeto resultante deste memorando é a Academia do Arsenal, que contará ainda com o envolvimento da Arsenal do Alfeite e da Associação das Indústrias Navais, através de um protocolo firmado também esta segunda-feira” numa cerimónia onde estiveram presentes os ministros da Defesa, João Gomes Cravinho, e do Mar, Ricardo Serrão Santos, lê-se na nota.

Esta instituição “tem raízes na escola de formação que funcionou durante décadas no Alfeite” – extinta na sequência da passagem dos estaleiros para sociedade anónima, em 2009 – e vai agora servir “todo o ‘cluster’ naval com o desenvolvimento de programas de formação e ensino na área da engenharia, tendo em vista o reforço de conhecimentos e competências técnico-científicas”, adiantam. 

Os programas desenvolvidos na academia terão como objetivo “qualificar os profissionais da indústria naval”, “atrair e reter quadros superiores, designadamente ao nível da licenciatura e mestrado” e “promover a inovação no ‘cluster’ naval a partir do reforço da ligação entre a indústria e a academia”. 

Os primeiros cursos vão ser lançados no quarto trimestre de 2021, “juntamente com as obras de adaptação necessárias”.

“A Academia do Arsenal é uma iniciativa que contribuirá para o cumprimento do objetivo da Componente do Mar do Plano de Recuperação e Resiliência, nomeadamente através da criação de emprego associado à formação e aquisição de competências, atração de novas empresas e criação de novos polos de desenvolvimento tecnológico”, sustenta o comunicado.

Além da Academia do Arsenal, o memorando de entendimento assinado prevê “para breve” a criação de uma academia aeronáutica e acrescenta que em 2023 deverá estar a funcionar também “o Centro de Inovação e Experimentação” que terá como objetivos a capacitação de recursos humanos e a promoção da inovação, criando “condições para atrair formandos e recursos de outros países”.

A 16 de março deste ano, o recém-eleito presidente do conselho de administração da Arsenal do Alfeite, S.A. apontou a formação profissional como uma das soluções para os problemas estruturais do estaleiro, tendo, na altura, antecipado a criação desta academia. 

José Luís Serra Rodrigues, ouvido no parlamento pela comissão de Defesa Nacional, sublinhou ao longo da sua audição a importância da formação e retenção de mão-de-obra qualificada para a sustentabilidade da empresa.

Há vários anos que o Arsenal do Alfeite tem passado por dificuldades financeiras graves, que já se traduziram em atrasos de salários e até do subsídio de Natal em 2020 aos mais de 400 trabalhadores que constituem esta empresa, responsável pela reparação e manutenção dos navios da Marinha portuguesa.

- publicidade -

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui