AtualidadeBarreiroMontijo

VMER do CHBM completou cinco anos em actividade

- publicidade -

A Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Centro Hospitalar Barreiro Montijo (CHBM) assinalou cinco anos de atividade tendo iniciado funções às 00h00 do dia 11 de abril de 2016.

Trata-se da 44ª viatura deste tipo em funcionamento no país. 

Ao longo destes 5 anos, a viatura teve cerca de 10.900 ativações, o que corresponde a uma média de 6 ativações por dia, percorreu cerca de 331.878 quilómetros, o que equivale a uma média de 182 quilómetros por dia ou de 30 quilómetros por ativação.

Destaca-se uma grande variedade na tipologia das ocorrências, nomeadamente emergências médicas; emergências de trauma; e emergências pediátricas e obstétricas. Atualmente, a equipa é constituída por 23 médicos e 21 enfermeiros, com formação diferenciada.

A sua área de atuação engloba preferencialmente os concelhos de Alcochete, Barreiro, Moita e Montijo, sendo que por diversas situações, quando solicitado pelo Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), abrange também outros concelhos limítrofes. 

Além da sua atividade, a equipa da VMER participou também em missões CODU MAR (em articulação com a Força Aérea Portuguesa), bem como em variados exercícios interinstitucionais, como o RAILEX’17 e são igualmente realizadas recorrentemente sessões de formação contínua, promovidas pelos operacionais da equipa, mas também em articulação com outras entidades (ex. Bombeiros Salvação Pública). 

As VMER são veículos de intervenção pré-hospitalar destinadas ao transporte rápido de uma equipa, composta por um médico e um enfermeiro, ao local onde se encontram os doentes, vítimas de acidente ou doença súbita em situações de emergência. O seu principal objetivo consiste na estabilização pré-hospitalar e no acompanhamento dos doentes, durante o transporte, até ao Hospital.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui