Moita

Visita ao Sítio das Marinhas assinala Dia da Ecologia na Moita

Oportunidade para visitar o Sítio das Marinhas

publicidade

Para assinalar o Dia da Ecologia a Câmara Municipal da Moita promove uma visita guiada no Sítio das Marinhas, dirigida ao público em geral, a 16 de setembro, das 9h30 às 11h00.

A visita é gratuita, com inscrição obrigatória até dia 10 de setembro, através do email [email protected], devendo indicar o nome, o número de pessoas, um contacto telefónico e no campo assunto “Visita Sítio das Marinhas”.

O Sítio das Marinhas – Centro de Interpretação Ambiental é um local privilegiado para observação de flora e avifauna do estuário do Tejo, sendo de muito fácil acesso ao visitante. As salinas, embora construídas pelo Homem, funcionam como habitat complementar à extensa zona entremarés, atraindo várias espécies de aves.

 Estas antigas salinas foram reativadas como projeto educativo e de sensibilização ambiental, contando também um pouco da história da humanização do território e da exploração de sal que durante anos caracterizou a atividade económica da terra.

O Sítio das Marinhas é um equipamento que salienta a identidade ribeirinha, dando continuidade ao trabalho desenvolvido pelo Município no âmbito do Projeto Moita Património do Tejo. Através desta visita guiada, o visitante ficará a conhecer melhor o funcionamento das salinas e a ecologia do Estuário do Tejo.

O Dia da Ecologia surgiu em 2016, para celebrar o 150º aniversário da criação do conceito de Ecologia. ​ Desde 2017 que a promoção deste dia está a cargo da SPECO – Sociedade Portuguesa de Ecologia, em associação com a Federação Europeia de Ecologia (EEF). A SPECO tem-se dedicado ao lançamento anual da iniciativa que, em Portugal, conta com o Alto-Patrocínio da Comissão Nacional da UNESCO.

Fonte: Câmara Municipal da Moita

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui