AtualidadeCrimeDistrito Setúbal

Violência doméstica e roubo na via pública são os principais crimes no distrito de Setúbal

- publicidade -

O Relatório Anual de Segurança Interna 2020 apresenta os principais indicadores da criminalidade registados em 2020 no território nacional.

Um dos aspectos a assinalar em 2020 é a descida muito acentuada, relativamente a 2019, da criminalidade participada, quer a criminalidade geral (-36 817 participações, a que corresponde uma variação de -11%), quer a criminalidade violenta e grave (-1929 participações, o que corresponde a uma variação de -13,4%).

Em 2020 registaram-se os valores mais baixos de sempre de criminalidade participada desde que que há registo nestes moldes, o que constitui uma retoma da tendência de decréscimo verificada desde 2009, para o que terá também contribuído a pandemia de covid19.

Por outro lado, o RASI alerta para o aumento das actividades da extrema-direita, através da Internet e identificou um «número significativo» de crimes de casamentos por conveniência no Chipre entre cidadãs portuguesas e cidadãos de países terceiros.

No distrito de Setúbal, o crime mais participado foi o de ‘violência doméstica contra conjugue ou análogos’, com um total de 2.337 queixas, um aumento de 0,3%, seguidas das queixas de ‘furto em veículo motorizado’, com 1.767 queixas, e a ‘ofensa à integridade física voluntária simples’, com 1.644 queixas.

As queixas que mais subiram foram as de ‘condução sem habilitação legal’, com 1.403 queixas (+60%), e burlas diversas, nas quais se incluem as burlas informáticas (+47%) e ‘burla com fraude bancária’ (+21%).

O concelho de Almada lidera no número de participações às autoridades, com 5.736 queixas registadas em 2020, seguida de Setúbal com 3.931 queixas e do Seixal com 3.925 queixas.

Relativamente à criminalidade violenta, a principal queixa foi para o ‘roubo na via pública excepto por esticão’, com um total de 668 queixas, seguida do ‘roubo por esticão’, esta com 292 queixas.

O RASI congrega os dados referentes à criminalidade participada à GNR, PSP, Polícia Judiciária, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Polícia Marítima, Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) e Polícia Judiciária Militar.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui