AlmadaJustiçaMoita

Vinte anos de prisão para mulher que matou companheiro na Moita

publicidade

O Juízo Central Criminal de Almada condenou na sexta-feira, uma arguida na pena de 20 anos de prisão pela prática do crime de homicídio qualificado, segundo o comunicado hoje publicado no site do Ministério Público.

Os factos remontam à manhã de 11 de novembro de 2019 e tiveram lugar na Moita, na residência que a arguida e a vítima, seu companheiro, partilhavam.

O Tribunal deu como provado que a arguida, movida por ciúmes, atirou óleo a ferver sobre a face do ofendido num momento em que este se encontrava a dormir e posteriormente, munida de uma faca de cozinha, desferiu-lhe quatro golpes, um dos quais acabou por provocar a morte da vítima.

De seguida, limpou os rastos de sangue com lixivia e dirigiu-se ao posto da GNR onde disse ter agido para se defender de um ataque do companheiro.

Para além da pena de prisão, a arguida foi ainda condenada no pagamento de 133 mil euros aos pais do ofendido.

A arguida encontra-se em prisão preventiva, situação que mantém enquanto aguarda os ulteriores termos do processo.

O inquérito foi dirigido pelo DIAP da Moita, com a coadjuvação da Polícia Judiciária.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui