Barreiro

Vila do Lavradio celebrou o 37.º Aniversário

A freguesia festejou a elevação a vila

A vila do Lavradio, no Barreiro, celebrou hoje, dia 25 de setembro, o 37.º Aniversário de elevação a Vila.

Esta Vila e freguesia do Lavradio transporta consigo muita história associada ao Barreiro.

Do programa das celebrações fez parte vários momentos.

Pelas 08h00 começou o passeio de solidariedade em BTT, organizado pela Associação de Ciclo turismo FidalByke, que teve como custo o donativo de um alimento por participante e a entrega dos donativos foi realizada na sede do clube.

Às 09h30 decorreu a tradicional sessão de Hastear Solene das Bandeiras, que decorreu na Sede da Junta de freguesia.

O momento contou com a presença da Presidente da União das Freguesias de Barreiro e Lavradio, Gabriela Soares, outros responsáveis do Executivo da UF e responsáveis do Executivo da Câmara Municipal do Barreiro.

Por volta das 10h00 foi o momento da apresentação das Marchas do Lavradio — Marcha popular da SFAL. O percurso começou na SFAL (Sociedade Filarmónica Agrícola Lavradiense), passou pela Avenida J.J. Fernandes, na Igreja do Lavradio e retornou pelo percurso inverso.

Chegadas as 11h00 foi servido Moscatel e Bolo de Aniversário na SFAL (Sociedade Filarmónica Agrícola Lavradiense).

“O Lavradio foi pertença da Ordem de Santiago e foi elevado a Vila e sede de Concelho em 1670, por Decreto de D. Pedro II, que a doou a D. Luís Mendonça Furtado, Vice-rei da Índia e 1.º Conde do Lavradio.

A zona do Lavradio foi até meados do século XX conhecida pela extração de sal e pela sua atividade agrícola, produzindo-se na sua área fundamentalmente vinha da qual era fabricado um vinho licoroso “Bastardinho”.

Com o crescimento industrial do século XX, as marinhas de sal, vinhas e fábricas de transformação de cortiça foram desaparecendo e nascendo na zona do Lavradio, não só uma zona habitacional com crescimento intensivo até há década de 80 do século XX como a instalação de Indústria pesada, nomeadamente a Fábrica da UFA e da Fisipe, bem como as instalações da EDP.

Do passado rural restam ainda vestígios, tanto na toponímia como na tipologia arquitetónica do chamado “Lavradio Velho” com vestígios de casas senhoriais, sedes de grandes propriedades rurais, resquícios das velhas salinas, bem como, um núcleo de pescadores tradicionais do Tejo com as casas lacustres na zona da Barra a Barra.

É ainda neste território que se encontra edificada a primeira Escola Primária Pública, Adães Bermudes, agora desativada, a coletividade mais antiga do Concelho do Barreiro, SFAL (Sociedade Filarmónica Agrícola Lavradiense), outrora sede da banda filarmónica onde lecionou a primeira maestrina portuguesa, Natércia Couto, o núcleo desportivo do atual Grupo Desportivo Fabril e toda uma memória coletiva ligada à prática desportiva, ao ensino da música e aos ideais republicanos”.

Durante os festejos, alguns populares acompanharam as cerimónias e fizeram questão de felicitar a vila onde vivem “é uma alegria festejar a nossa vila com uma história de luta e resistência”, “a minha freguesia é a mais bonita, gosto muito de cá viver”, “muitos parabéns para todos nós que cá vivemos e mantemos a nossa vila bonita e viva”, “parabéns para o nosso Lavradio”.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *