Destaque

Vídeo gera onda de solidariedade com casal que vive em canis no Pinhal Novo

publicidade

Adelito Paulo de 52 anos e Isabel Gonçalves de 66, são o casal que foi descoberto por um popular em Pinhal Novo e que deu a conhecer ao mundo a situação degradante que atualmente vivem num terreno que está localizado à saída do Pinhal Novo, Palmela, para a Moita.

Diário do Distrito conheceu de perto a história deste casal que recebeu esta terça-feira, 14 de janeiro, a visita dos autarcas do MIM, José Calado e Palmira Hortense e também a visita do presidente da Junta de Freguesia de Pinhal Novo, Manuel Lagarto, estiveram a conhecer quais as necessidades do casal que atualmente vive em condições degradantes, pois vivem em canis que estão construídos num terreno que adotaram para viver por estes dias.

“Somos sem abrigos há já algum tempo, vivemos em casa de um amigo meu que no entanto morreu e a partir dessa altura começamos a viver na rua”, lembra Adelito Paulo que atualmente recebe 170 euros de Rendimento Social de Inserção.

Adelito Paulo não consegue arranjar trabalho por ser cego de uma vista, já Isabel Gonçalves está reformada por invalidez e recebe cerca de 270 euros, para esta mulher o mais difícil é a sua situação de vida: “Vivemos assim, sem teto, o que recebemos da Segurança Social não dá para pagar uma renda, nos dias de mais frio ou chuva recorremos às urgências dos Hospitais de São Bernardo ou do Barreiro e por ali vamos ficando a noite no banco de urgências até amanhecer”.

Na companhia de um pequeno patudo, Isabel olha para o seu animal de estimação com um olhar triste e diz-nos “o que mais queria era uma casinha para viver com o Adelito e com o meu cão”, o pequeno patudo vai ficar numa família de acolhimento por estes dias, onde será tosquiado, desparasitado e onde vai ter o chip.

“Esteve cá uma rapariga que nos disse que viria buscá-lo e fica com ele até arranjarmos casa”, salienta Adelito Paulo que com um ar triste também deixa no ar “vai ser muito difícil para ele e para nós, mas acreditamos que brevemente iremos arranjar uma casita”.

A noticia foi ‘disparada’ no passado sábado, quando um vídeo dava conta desta situação, o casal ficara sem mantas e almofadas, pois foram alvo de roubo. O nosso jornal contactou a Câmara Municipal de Palmela que nos respondeu: “A Câmara de Palmela está a acompanhar a situação, tendo de imediato, realizado um atendimento para perceber o histórico destas pessoas”, diz a mesma resposta que foram acionados todos os ‘protocolos’ estabelecidos para responder a situações socais como esta.

Alerta-nos o Município que o casal não é do concelho de Palmela, afirmando que “O senhor em causa tem morada da Moita, está a beneficiar de apoio social e é acompanhado pela equipa do Gabinete de Ação Social da Moita. A senhora é reformada por invalidez e é utente do Centro de Saúde da Baixa da Banheira”.

Atualmente os responsáveis de Ação Social e Segurança Social de Palmela articularam contactos com as equipas da Moita e estão a acompanhar Adelito Paulo. Por fim a Câmara Municipal de Palmela adianta que estão a articular com o Centro Distrital de Segurança Social de Setúbal e a Fundação COI uma intervenção para o casal que continua a dormir em condições degradantes.

Diário do Distrito sabe que estão a ser servidas refeições quentes ao casal através do Restaurante O Forno e a higiene pessoal vai ser feita no quartel dos Bombeiros Voluntários de Pinhal Novo até que uma solução para alojar o casal seja achada.

Tentamos ainda entrar em contacto com o presidente da Junta de Freguesia de Pinhal Novo, mas até ao momento não foi possível.

Ler mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios. Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site