Atualidadecoronavírus

Vai para confinamento? Pode ficar sem Netflix, HBO ou Youtube

- publicidade -

Quem entra em confinamento sabe que não é apenas nos canais televisivos que vai conseguir obter entretenimento para todas as horas.

No entanto fique a saber que o Governo está a prever uma série de medidas para que empresas de comunicações passem a dar prioridade a serviços essenciais críticos em vez de plataformas de entretenimento na Internet que consomem muitos dados, «sempre que necessário» e para evitar o «congestionamento das redes».

Com estas medidas, as empresas de comunicações eletrónicas poderão limitar ou mesmo inibir durante o período de estado de emergência e confinamento algumas funcionalidades dos serviços audiovisuais não lineares se tal for necessário.

Entre estes serviços estão os de videoclube, as plataformas de vídeo, bem como o acesso a serviços de videojogos pela Internet.

Para o Governo, as empresas de comunicações eletrónicas devem dar prioridade a clientes considerados prioritários como, entre outros, os serviços e organismos do Ministério da Saúde e as entidades prestadoras de cuidados de saúde integradas na rede do Serviço Nacional de Saúde, mas também ao Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP), Ministério da Administração Interna, Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), Forças Armadas, polícias, serviços de apoio ao funcionamento da Presidência da República, da Assembleia da República e do Governo.

Além destes, também outros serviços do Estado, como a Segurança Social, registos, serviços do cartão de cidadão ou Diário da República Eletrónico também devem ser prioritários, tal como as escolas.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui