LisboaPortoSaúde

Urgências metropolitanas tem de ser revistas em cinco meses por nova comissão

- publicidade -

O Ministério da Saúde criou uma comissão executiva para rever a organização das urgências das áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto com o objetivo de melhorar o acesso, a qualidade e a eficiência da resposta aos doentes. O grupo, liderado por António Marques, anestesiologista do Centro Hospitalar e Universitário do Porto, terá de apresentar um relatório nos próximos cinco meses, com sugestões de concentração de recursos em determinados hospitais.

O despacho foi assinado por Marta Temido no passado dia 25, quatro dias antes de se demitir, e ontem publicado em Diário da República.

De acordo com o diploma aprovado pela antiga Ministra da Saúde, a reorganização das urgências metropolitanas de Lisboa e do Porto está prevista no Plano de Recuperação e Resiliência e para implementá-la, é necessário estudar e propor “o modelo tecnicamente adequado à prestação de cuidados urgentes/emergentes”, de acordo com as melhores práticas internacionais.

À comissão executiva caberá “identificar os locais de atendimento em serviço de urgência que melhor sirvam as duas áreas metropolitanas, definindo as regras de articulação e de partilha de recursos técnicos e humanos entre os vários hospitais, com o objetivo de garantir a concentração da resposta em determinadas especialidades médicas e cirúrgicas”.

Após apresentar o relatório, a comissão manterá funções por mais três meses para acompanhar as medidas que vierem a ser estipuladas. Segundo o despacho, será a nova direção executiva do SNS, em articulação com estruturas regionais, a elaborar os documentos com as novas urgências metropolitanas para aprovação da tutela.

O modelo de urgência metropolitana pretende dar resposta à carência de médicos naqueles serviços. No Grande Porto há urgências metropolitanas de Oftalmologia, Urologia, Pediatria, Psiquiatria e Otorrinolaringologia a funcionar nos centros hospitalares (CH) do Porto, S. João, Gaia/ Espinho, entre outros. No sul, os CH Lisboa Norte e Central também têm várias especialidades concentradas.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *