PalmelaReportagem

Unidade Móvel de Saúde inaugurada hoje em Palmela

- publicidade -

A Câmara Municipal de Palmela assinala hoje o Dia Mundial da Saúde com algumas iniciativas, entre elas a inauguração da Unidade Móvel de Saúde, que teve lugar esta manhã no Largo de S. João.

A nova Unidade Móvel “vai ser especialmente importante para duas das freguesas do concelho, Marateca e Poceirão”, explicou ao Diário do Distrito o presidente Álvaro Amaro, “uma vez que são as com características mais rurais, são as mais afastadas da sede do concelho e que têm uma população com mais dificuldades de mobilidade”.

Trata-se de um projecto no âmbito da «Palmela Município + Saudável» e resulta da colaboração entre o município e a ARSLVT – Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

A apresentação contou com as presenças de Álvaro Amaro, de Nuno Venade, do Conselho Directivo da ARSLVT – Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, e de Luís Pombo, director executivo do Agrupamento dos Centros de Saúde ACES Arrábida.

“Foi com grande honra que o Agrupamento aceitou em 2019 o desafio lançado pela Câmara Municipal de Palmela para, no âmbito do Programa PRIA – Percursos em Rede para a Inclusão Activa, para promovermos este projecto da Unidade Móvel de Saúde, com total apoio da ARSLVT” referiu Luís Pombo.

O responsável do Agrupamento ACES Arrábida relembrou o processo de preparação que durou dois anos, limitado também pela pandemia, “que irá permitir chegar às populações mais isoladas e com menos acesso à saúde. Esta Unidade Móvel constituirá um meio de excelência para intervenção comunitária, com a participação de vários profissionais de saúde, de vários sectores.”

Luís Pombo frisou ainda que “este equipamento poderá vir também a ser um meio essencial para a vacinação anti-covid de forma mais célere às populações mais isoladas” e agradeceu “a todos os profissionais da ACES Arrábida pelo muito trabalho que têm desenvolvido. Mas a viagem começa agora.”

Na sua intervenção Nuno Venade reiterou que “esta Unidade Móvel é mais um instrumento que está ao serviço do ACES e dos cuidados de saúde primário” e agradeceu “dando também uma palavra de confiança para com a excelente parceria com a Câmara Municipal de Palmela e o seu presidente para projectos como este, que não é o primeiro nem será o último.

Temos um conjunto de projectos em desenvolvimento que vão modificar de forma radical os serviços de saúde em Palmela.”

Outra palavra de agradecimento foi dirigida “aos nossos profissionais, porque estamos todos num momento dificul, em que toda a resiliência tem sido constantemente testada, e pedia um pouco mais de esforço para a campanha de vacinação que está a decorrer e tudo faremos para garantir que tudo correrá bem, vamos continuar a fazer o bom trabalho como até agora.”

«Este era um projecto muito ambicionado»

Congratulando-se pelo ‘desconfinamento’ “que permite estes reencontros públicos de que todos já sentíamos falta, embora sem podermos convidar muita gente”, Álvaro Amaro frisou que “é muito significativo podermos assinalar o Dia Mundial da Saúde com a inauguração da Unidade Móvel de Saúde de forma pública, e a satisfação de concretizarmos um projecto muito ambicionado, que transmite a forma de trabalhar que temos em Palmela, o trabalhar em rede e parceria, procurando responder a todos, num concelho que é o maior da Área Metropolitana de Lisboa”.

O autarca referiu que “esta Unidade Móvel irá contar com uma equipa de profissionais de saúde, que vai percorrer todo o concelho, e materializa um novo modelo de intervenção e saúde de proximidade.

A Unidade Móvel conta com uma equipa de profissionais que percorrerá todo o concelho e materializa um novo modelo de intervenção em saúde de proximidade, no âmbito do PRIA – Percursos em Rede para a Inclusão Ativa, uma candidatura que elaboramos a nível intermunicipal a fundos comunitários desenvolvida em que tivemos como parceiros os municípios de Setúbal e Sesimbra, enquadrada na estratégia intermunicipal muito acarinhada na AML, no âmbito do denominado Território Arrábida.

- publicidade -

Preconizando uma oferta inovadora e qualificada, o PRIA contempla um conjunto de ações que pretendem potenciar a inclusão social, a saúde, o bem-estar e a autonomia.”

Álvaro Amaro destacou depois quatro ações integradas no PRIA desenvolvidas no concelho, “e uma destas ações que já está implementada há cerca de três anos, é o serviço municipal de teleassistência que está a beneficiar vários idosos e de extrema utilidade para as famílias neste contexto de pandemia”.

O investimento na Unidade Móvel foi de cerca de 75 mil euros, com cinquenta por cento financiado por fundos comunitários, e irá percorrer o concelho três manhãs por semana, sendo que no restante horário irá dispor de serviços informativos complementares ligados a várias campanhas, entre outras iniciativas”.

O presidente da autarquia destacou, no entanto, que “esta resposta não deve nem pode substituir os Centros e Unidades de Saúde no nosso concelho, que queremos continuar a ver abertas e a funcionar e dotadas de excelentes profissionais, porque urge voltar a retomar a actividade médica regular, tão necessária às nossas populações.

A Unidade Móvel de Saúde é um complemento, como outros, em que a autarquia entende fazer parte da solução.”

Álvaro Amaro terminou com um agradecimento “à excelente equipa que construi este excelente projecto que levou à criação desta Unidade Móvel entre eles o vereador Adilo Costa”.

Ao Diário do Distrito, o vereador do MIM – Movimento Independente pela Mudança, José Calado, deixou ainda uma nota sobre o facto de “este ter sido também uma das medidas que o MIM pretendeu implementar na negociação sobre os orçamentos, e por isso é com muito prazer que o vemos tornar-se uma realidade”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui