Uma reflexão em tempo de quarentena

Um artigo de opinião de Sónia Alves sobre a situação mundial relativa ao Coronovírus 19.

0
111
Tempo de Leitura: < 1 minuto

Domingo 15 de Março de 2020

Estou em casa a pensar que estas coisas que se estão a passar era suposto só acontecerem nos filmes.

É assim que me sinto…prisioneira da minha própria espécie…a Humanidade.

A Humanidade, essa que se acha imune a tudo, no topo da cadeia alimentar, que na sua ganância e arrogância, mata, rouba, destrói, discrimina.

E um dia, mais um dia desta vida apática e vertiginosa onde os anos passam a correr, onde tudo é a correr e não há tempo para viver porque tem que se sobreviver somos atingidos por um inimigo…diferente, microscópico, cruel e em alguns casos letal…que ataca e ganha pela grande fraqueza basilar do ser humano.

Sem recorrer a armas, a discursos de manipulação de massas ou interesses financeiros ele vai avançando e atingindo todas as classes sociais.

Ele usa-nos e ganha pelas nossas decisões.

Pelas nossas escolhas, pelas nossas formas de estar, pelos nossos hábitos, laços, intimidades.

Não quer saber se somos brancos, pretos, amarelos.

Se somos o Presidente da República ou o sem abrigo de Lisboa.

Não aceita subornos nem está disponível para negociar tréguas.

A Vitória depende da nossa conduta, das escolhas que fazemos hoje.

O Covid-19 ataca os pulmões mas não ataca o cérebro.

Pratiquemos a estratégia inteligente, façamos escolhas responsáveis e exactamente o oposto daquilo que ele usa para ir ganhando.

Estamos na III Guerra Mundial, diria eu.

Só depende de nós vencê-la.

As trincheiras são o conforto do nosso lar.

Julgo que bem melhores que as trincheiras das duas anteriores.

Pensem nisto!

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome