Opinião

Uma aposta no Desporto Escolar

- publicidade -

Recordo-me que, quando frequentava o ensino secundário, a minha professora de Educação Física levou a nossa turma a ter aulas no Complexo Municipal dos Desportos de Almada, fora da escola. E lembro-me de na altura pensar que além das melhores condições era também uma forma de praticarmos desportos diferentes que dentro do recinto escolar não tínhamos oportunidade. E lembro-me também de pensar em qual seria o motivo de esta não ser uma prática recorrente em todas as escolas.

O desporto escolar está muito focado no futebol, basketball, etc, o que até é compreensível tendo em consideração que os recintos escolares estão maioritariamente preparados com equipamentos que só permitem a prática desses desportos. No entanto as autarquias têm equipamentos desportivos que permitem a prática de desportos como por exemplo o ténis e a natação, por isso o que é que impede a sua utilização? Será por falta de criatividade das escolas e dos programas escolares ou falta de permissão por parte do poder local? No meu caso, que estudava na Escola Secundária Francisco Simões, que desde a altura tinha a promessa da construção de um recinto desportivo fechado (ainda por construir), os professores inovavam e por isso tivemos a possibilidade de ter aulas de Educação Física diferentes, e o mesmo poderia ser feito por professores de outras escolas, podiam ser utilizados equipamentos da autarquia mas também podiam ser feitas parcerias com associações desportivas do concelho para ser incentivada a prática de desportos que o concelho oferece. E no caso de Almada até existe bastante oferta tendo em conta as características geográficas que até nos permitem a prática de vários desportos aquáticos.

Fora de Portugal, e dou aqui como exemplo os EUA, o incentivo à prática do desporto escolar, e desportos variados, é visto não só como prestigioso mas é muitas vezes também uma mais valia aquando das candidaturas à universidade, sendo que são muitos os jovens americanos que acedem ao ensino superior através do desporto escolar, com bolsas universitárias, e continuam a sua prática na universidade, sendo que a competição desportiva universitária é também uma forma de criação de riqueza para o estabelecimento de ensino.

Numa altura que nos permite pensar no que está mal e como podemos melhorar, e em que já tanto foi alterado por exemplo a nível das práticas laborais, stá na altura de mudarmos o paradigma do nosso desporto escolar e inovar, tanto pela necessidade de divulgar modalidades, para motivar os jovens para a prática do desporto e também pelo factor social que o desporto pode ter. É necessário também criar um diálogo contínuo entre as escolas, autarquias e associações desportivas para ser feita uma gestão eficaz dos recursos desportivos, materiais e humanos que estão disponíveis nos concelhos.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui