AtualidadeJustiça

Tribunal aplica prisão preventiva a Miguel Sousa Cintra à terceira ocorrência

Prisão preventiva para Miguel Sousa Cintra à terceira ocorrência

publicidade

Após três detenções por causar distúrbios em Vila do Bispo, Algarve, o empresário e filho de Sousa Cintra, ficou em prisão preventiva, após tentar incendiar casa do vizinho.

Antes Miguel Sousa Cintra, de 51 anos de idade, tinha atirado contra uma máquina e uma viatura na sua propriedade, na praia da Ingrina, pelo que havia sido detido no sábado, dia 12, na terça-feira, 15, sendo libertado em ambas as ocasiões, ficando proibido de usar armas de fogo e contactar com as vítimas dos disparos e obrigado a um tratamento para o alcoolismo.

No entanto, Miguel Sousa Cintra foi novamente detido na madrugada desta quinta-feira, 17, e desta feita o tribunal determinou a prisão preventiva.

O ex-presidente do Sporting já afirmou que o filho está doente.

A GNR apreendeu um arsenal de armas na casa da família Sousa Cintra.

Em Julho de 2003, Miguel Sousa Cintra foi condenado a uma pena de três anos suspensa de três anos e uma pena de 120 dias de multa à taxa diária de 295 euros, pelo Tribunal da Comarca de Lisboa depois de ter sido provado o seu acesso a informações privilegiadas sobre a OPA que o grupo Jerónimo Martins pretendia lançar sobre a maioria do capital social da Vidago, no que foi o primeiro caso de crime de abuso de informação privilegiada julgado em Portugal.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui