Parceiros
PaísSeixal

TRANSTEJO – Problema pode estar também no mexilhão

A presidente do Conselho de Administração da Transtejo, Marina Ferreira, explicou via telefone à TVI24 que os problemas sentidos esta manhã no cais fluvial do Seixal se ficaram a dever “à avaria no domingo de um dos navios que faz essa ligação, que já está em doca a ser reparado, mas esta ligação ficou penalizada porque passou a ser feita apenas com um navio”.

Marina Ferreira assume que “temos consciência na empresa que estes são navios com um elevado desgaste e o meio fluvial é especialmente sujeito a avarias, devido à biologia e poluição, chegando a ser criadas colónias de mexilhões nos motores dos navios.”

Nas declarações, afiançou que “o processo de normalização está em curso, mas a reparação de cada navio demora muitos meses, além de as docas de reparação serem também elas em número limitado no país. À medida que forem saindo destas reparações prolongadas, iremos retomando a circulação.”

Sobre o que ocorreu na manhã desta terça-feira, Marina Ferreira refere que “um grupo de passageiros entrou pela porta das saídas, o que impossibilitou que fosse retomada a normalidade da ligação” num movimento que classificou de “impaciência”.

A responsável garantiu também que “há barcos de substituição, mas fruto de muitos anos sem manutenção, tivemos de começar a lentamente a partir do ano passado a recuperar esses ciclos de manutenção. Neste momento temos vários navios em doca que estavam imobilizados, mas não temos navios que possam suprir as falhas.”

A Transtejo tem “como objectivo chegar a um ponto em que possamos ter os navios necessários a cada ligação, 2 no Seixal, 3 em Cacilhas e 6 no Barreiro, e navios suficientes de ‘reserva’ para avarias que ocorram”.



Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.