AtualidadeMobilidade

Trabalhadores da Infraestruturas de Portugal em (nova) greve dia 2 de julho

- publicidade -

Os trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) e das suas filiadas vão realizar nova greve no dia 2 de julho, sexta-feira, reivindicando melhores condições laborais, nomeadamente, o aumento dos salários.

A plataforma de sindicatos que representam os trabalhadores da IP e das suas participadas (IP Engenharia, IP Património e IP Telecom) entregou um pré-aviso de greve com início às 00h00 e término às 24h00 de 2 de julho de 2021, depois dos colaboradores já terem parado a 2 e 28 de junho.

«Os trabalhadores da IP e das suas participadas não aceitam a discriminação praticada pelo Governo e aceite pela empresa que decide pelo aumento de salário para 308 dos seus 3.784 trabalhadores», defendeu, em comunicado, a plataforma sindical.

As reivindicações em causa prendem-se com o aumento de salários para todos os trabalhadores, o cumprimento integral do clausulado do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), a negociação coletiva como fator de resolução e prevenção de conflitos, a atualização do valor do subsídio de refeição e a integração do abono de irregularidade de horário no conceito de retribuição.

Reclamam ainda a atribuição de concessões de viagem na CP- Comboios de Portugal a todos os trabalhadores da IP e suas participadas, a aplicação integral do ACT em vigor na IP aos trabalhadores do quadro de pessoal transitório, a abrangência das deslocações e horas de viagem a todos os trabalhadores e o ajuste do subsídio de refeição nas ajudas de custo.

Outra reivindicação é feita pela falta de produtos de limpeza e higiene e por melhores condições de higiene e segurança nas instalações sociais e nos locais de trabalho.

O Tribunal Arbitral não acedeu ao pedido da Infraestruturas de Portugal (IP) para que durante os dois dias de greve fosse assegurada 50% da atividade, reduzindo os serviços mínimos à segurança e manutenção.

Por este motivo a IP e a Fertagus já emitiram comunicados aos utilizadores alertando para a possibilidade de «fortes perturbações na circulação de comboios».


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo