EconomiaSines

Trabalhadores da Euroresinas regressam à greve

Após a greve levada a cabo nos dias 3 a 12 de Novembro, os trabalhadores da Euroresinas, em Sines, voltam a paralisar entre 4 e 13 de Janeiro.

Em causa está o aumento dos salários, com o SITE Sul a acusar que «na última reunião de negociações, a administração da Euroresinas nunca se aproximou daquilo que é reivindicado pelos trabalhadores e até apresentou propostas discriminatórias».


Segundo o sindicato «os salários na Euroresinas têm de ser aumentados de forma justa, para permitir uma vida digna aos trabalhadores e, com isso, também dinamizar a economia.

Desde 2019, o SMN aumentou 85 euros. A administração continua sem explicar como é que esta subida pôde ser suportada pelas empresas mais pequenas, mas na Euroresinas isso continua a ser negado.

Com resultados positivos esperados para 2021, a mais recente proposta patronal não chega sequer para que cada trabalhador consiga diariamente comprar um pão.»

Na terça-feira, primeiro dia de greve, às 8h30, na portaria da fábrica da Sonae Arauco, em Sines, terá lugar uma concentração dos trabalhadores em luta, com a participação do coordenador do SITE Sul.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.