AlmadaDestaquePolíticaReportagem

«Temos muito caminho para caminhar e iremos fazê-lo unidos»

- publicidade -

A Praça da Liberdade, em Almada, recebeu esta sexta-feira o “primeiro grande momento de apresentação da candidatura de Maria das Dores Meira, uma mulher que nasceu e vive em Almada” conforme declarou António Matos, actual vereador da CDU na autarquia.

Coube a este a apresentação da candidatura “num encontro que quisemos partilhar com o movimento associativo, os professores, os trabalhadores, com todos os que têm construído Almada, num local emblemático da nossa cidade”.

Com a esperada crítica à actual gestão do PS, António Matos salientou a necessidade de “tirar o concelho do marasmo e da letargia em que caiu há quatro anos, e com a candidatura de Maria das Dores Meira, interromper o estado de paragem e regressão impostos pelo PS, e relançar Almada para um novo patamar de desenvolvimento, na linha da frente com os municípios progressistas portugueses”.

Dirigindo-se a centenas de apoiantes que encheram a Praça da Liberdade, a cabeça-de-lista e actual presidente da Câmara Municipal de Setúbal, cumprimentou “todos os que iniciaram hoje o percurso na luta pela conquistas das Autárquicas”, e deixou ainda saudações “aos autarcas setubalenses que me acompanharam ao longo de um caminho de duas de décadas, que só vai a meio.

Podem dizer que estou a ‘voltar a Almada’, mas nunca de cá saí. Aqui nasci e cresci, estudei e resido. Somos uma terra maravilhosa e que se desenvolveu com o trabalho da CDU ao longo de quarenta anos.

É por Almada e pelo futuro que me apresento, por uma Almada com que continuamos a sonhar e numa viagem que quero fazer com todos os que fazem desta a sua terra. Temos muito caminho a andar mas sei que o faremos unidos como os dedos da mão.

Almada é mais do que uma outra margem, e não admitirei que seja colocada ‘à margem’. Nesta margem sabemos quem somos e o que queremos ser.”

A candidata afirmou ainda “assumir a confiança que em mim depositou o PCP e Os Verdes, para servir Almada e os almadenses. É necessário tirar Almada do retrocesso em que caiu”, apontando depois algumas das medidas do programa eleitoral da CDU.

«Tirar o Metro do centro da cidade»

“As prioridades são muitas e complexas e passam por reabrir o diálogo com o movimento associativo, com os professores, e com os trabalhadores, sobretudo os das autarquias bem como apostar na sua valorização.

É necessário apostar na melhoria da mobilidade e na requalificação urbana, valorizar a frente ribeirinha e costeira com projectos de restruturação do ecossistema.

Há que priorizar a reconversão das AUGI e promover a oferta de mais e melhores transportes públicos, levando o Metro até à Costa da Caparica e até ao Seixal e retirando-o do centro da cidade, através de um sistema de túnel, para acabar com os constrangimentos que todos conhecem.”

Também presente neste encontro esteve o Secretário Geral do PCP, Jerónimo de Sousa, que reiterou também a intenção da CDU de “devolver a este município de Abril a gestão CDU que o PS se apressou a rasurar”.

Jerónimo de Sousa relevou as críticas à actual maioria PS no concelho, desejando “que este Abril desague em Almada para repor o desenvolvimento que conhecemos com a CDU, e com Maria das Dores Meira voltaremos a ter um concelho de referência.

- publicidade -

Estes quatro anos de gestão PS chegaram para ver aquilo que o PS sempre nos oferece: muita propaganda e promessas não cumpridas, e sabemos como o concelho andou para trás, no apoio ao movimento associativo, na qualidade de serviços públicos e em muitos outros aspectos.”

Deixando também uma palavra aos anteriores presidentes do PCP/CDU da autarquia almadense “desde Joaquim Judas, a Maria Emília até José Manuel Maia” Jerónimo de Sousa deixou a promessa de que “este concelho tem a nossa marca de desenvolvimento e voltará a tê-la”.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo