coronavírusDestaque
Em Destaque

Telemóveis anteriores a 2016 sem acesso à aplicação STAYAWAY Covid

1,7 milhões de telemóveis ficam sem acesso à aplicação que deteta quem está com teste positivo à Covid-19. Governo defende outras ferramentas para controlo da pandemia e promete apertar medidas restritivas

publicidade

São mais de 1,7 milhões de telemóveis que vão ficar de fora da aplicação que está a gerar grande polémica no País. Existe atualmente smartphones anteriores a 2016 que não suportam a aplicação, a ferramenta que o Governo promete mandar as autoridades fiscalizarem nos próximos dias.

Para que a instalação seja instalada no telemóvel, a aplicação exige que os aparelhos sejam recentes, isto é, telemóveis lançados a partir de 2016.

Especialistas em tecnologia afirmam que a aplicação é segura e não recolhe qualquer tipo de dado dos utilizadores, nem sequer a localização exata do mesmo, a aplicação custou perto de 400 mil euros aos cofres do Estado português e foi desenvolvida em Portugal, a informação é toda nacional e recolhida a partir dos servidores nacionais, não tendo intermediários como o exemplo da Google.

António Costa, primeiro-ministro, lamentou a falta de informação que tem chegado junto dos portugueses e “pressupostos errados” que têm alimentado as polémicas sobre o STAYAWAY COVID.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui