Tap voa ao sabor dos vinhos de Setúbal

Os vinhos da Quinta Brejinho da Costa, Quinta da Bacalhôa, Adega de Palmela e Casa Ermelinda Freitas podem ser degustados a bordo da TAP Air Portugal.

0
193
FOTO: DR
Tempo de Leitura: < 1 minuto

A Tap Air Portugal disponibiliza – durante o quarto trimestre de 2019 e até fevereiro de 2020 – aos seus passageiros uma verdadeira viagem pelos sabores da cultura vitivinícola da Península de Setúbal.

Os passageiros que se descolarem nas classes económicas e executiva têm agora a oportunidade de degustar os vinhos numa “pré-viagem pelos sabores de Portugal”, destaca o responsável da empresa aérea Joel Fragata. O objetivo é essencialmente a promoção dos vinhos portugueses, num hinos à portugalidade, servidos por uma tripulação formada para apresentar os vinhos a bordo com conhecimento e propriedade sobre o assunto.

O Moscatel de Setúbal abriu portas para a entrada dos vinhos de Setúbal na carta da Tap, depois da sua introdução em 2017, o que aliado ao aumento do número de passageiros após a privatização da empresa área em 10%,, nomeadamente da América do Norte, reforça a promoção dos vinhos e dos sabores vínicos da região.

A Organização Internacional do Vinho (OIV) avançou que o consumo per capita de vinho em Portugal cresceu quase 21%, o que as autoridades portugueses justificam com a expansão do turismo no país. Neste sentido, a Tap partilha da mesma visão e considera que os turistas visitam o país para sentir e saborear os sabores de Portugal, podendo assim iniciar a viagem ainda no ar ao saborear os vinhos da Península de Setúbal.

A seleção de vinhos que os passageiros da Tap podem desfrutar foi apresentada hoje em conferência de imprensa, seguindo-se de um almoço, na Casa da Baía, perante responsáveis da Tap e das empresas de vinho Quinta Brejinho da Costa, Quinta da Bacalhôa, Adega de Palmela e Casa Ermelinda Freitas.

Os sabores distintivos dos vinhos de Setúbal devem-se a um clima misto, atlântico e mediterrânico, influenciado pela proximidade do mar, da serra e por uma latitude “sulista”. E que a partir deste último trimestre do ano servem também de porta de entrada para Portugal, em pleno voo, nas principais castas tintas: Moscatel Roxo, Touriga Nacional, Aragonez, Syrah e Castelão; e nas principais castas brancas: Fernão Pires, Arinto e Moscatel de Setúbal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome