AlmadaAtualidade

Sobre Utilização dos Serviços de Urgência…O exemplo do Hospital Garcia de Orta

Um serviço de excelência que é prestado a todos os utentes do HGO.

A utilização excessiva e inadequada dos Serviços de Urgência tem apresentado uma tendência crescente nas últimas décadas, tanto a nível nacional como internacional. A afluência apenas abrandou no auge da pandemia Covid-19, sobretudo nos doentes triados como “pouco urgentes” ou “não urgentes”. Atualmente, voltamos a assistir a uma nova trajetória ascendente.

No Hospital Garcia de Orta, em 2016, os Utilizadores Frequentes (utentes que realizam 4 ou mais episódios de urgência em 12 meses) representavam 5,5% do total de utilizadores, mas correspondiam a 20% da totalidade dos episódios de urgência.


De forma a abordar esta problemática foi criado, em 2016, um grupo de trabalho, com o apoio do Conselho de Administração do Hospital Garcia de Orta e da Direção do Agrupamento de Centros de Saúde Almada-Seixal. O Grupo, constituído por médicos, enfermeiros e assistentes sociais das duas instituições foi intitulado Grupo de Resolução dos High Users (GRHU).

Os principais objetivos do GRHU são promover a gestão integrada dos cuidados centrados na pessoa, melhorar o encaminhamento e acessibilidade aos cuidados de saúde, incluindo o apoio social, potenciar uma adequada e efetiva articulação e integração das diferentes estruturas prestadoras de cuidados, promover atitudes preventivas e ganhos em saúde e otimizar a resposta do Serviço de Urgência Geral do Hospital Garcia de Orta aos utentes efetivamente urgentes e emergentes.

O GRHU iniciou a sua atividade pela análise do perfil dos Utilizadores Muito Frequentes do Serviço de Urgência do Hospital Garcia de Orta, os High User (utentes que realizam 10 ou mais episódios de urgência em 12 meses) tendo concluído o seguinte:

· Cada utente realizou, em média, 14 episódios de urgência em 12 meses (valor máximo: 66 episódios em 12 meses);

· 46% dos utentes apresentaram situações do foro psicossocial, 21% agudização de doenças crónicas e 6% doença oncológica;

· 89% dos utentes tinham médico de família atribuído, e destes  41% eram, também, utilizadores frequentes das Unidades de Saúde onde se encontravam inscritos;

· 84% dos utentes estavam a ser vigiados em, pelo menos, uma consulta no Hospital Garcia de Orta.

Concluímos que os High Users apresentavam necessidades complexas, tais como problemas de saúde mental e física, doenças crónicas múltiplas, suporte social insuficiente e dificuldades socioeconómicas. A realização de frequentes episódios de urgência sugeria que estes utentes não estavam a receber a resposta e/ou tratamento adequado às suas necessidades, quer de saúde quer sociais.

No âmbito da sua atividade o GRHU elabora um Plano Individual de Integração (PII) para cada High Users, com a colaboração de todos os intervenientes, incluindo das Equipas de Família das Unidades de Saúde a que o utente pertence. No Plano Individual de Integração são identificadas as necessidades e os recursos disponíveis para cada utente e é atribuído um Gestor de Caso de entre os elementos dos GRHU, com o objetivo de avaliar e monitorizar a execução do PII.

O reconhecimento do trabalho desenvolvido e dos resultados obtidos possibilitou o estabelecimento de uma parceria com a Value for Health CoLAB da Nova Medical School. O trabalho de investigação conjunto permitiu avaliar o impacto da atividade do GRHU, quantificar Ganhos em Saúde, assim como validar a metodologia adotada – Gestão de Cuidados Integrados e Centrados na Pessoa.

Conscientes da importância de potenciar o trabalho em rede entre o Hospital Garcia de Orta e o Agrupamento de Centros de Saúde Almada-Seixal, o Programa GRHU já contemplava na fase de projeto o financiamento para a aquisição e disponibilização de duas viaturas às equipas de saúde comunitárias, de forma a garantir a promoção de contactos de proximidade e visitas domiciliárias, nas situações em que a complexidade dos casos assim o exige.   

No final do ano de 2021, os Utilizadores Frequentes no Hospital Garcia de Orta representavam 4% do total de utilizadores, face a 5,4%, em julho de 2017 (início da intervenção GRHU), e correspondiam a 14,9% do total de episódios realizados, face a 19,5%, em julho de 2017.

No universo dos Utilizadores Muito Frequentes verificou-se uma redução de 43,5% de utentes, face a julho de 2017, o que correspondeu a um decréscimo de 64% dos episódios.

O Programa GRHU projeta para o ano de 2022, para além da entrega formal das duas viaturas ao Agrupamento de Centros de Saúde Almada-Seixal, alargar a sua intervenção aos Utilizadores Frequentes do Serviço de Urgência do Hospital Garcia de Orta, através da sinalização precoce do número de visitas às Unidades de Saúde/Equipas de Família. Com esta partilha de informação é possível promover a antecipação da intervenção ao nível dos Cuidados de Saúde Primários e evitar a geração de novos Utilizadores Muito Frequentes.

- publicidade -

Com a integração de todos os níveis de cuidados, e uma intervenção centrada na “pessoa”, conseguimos verdadeiras mudanças.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.