coronavírusNacional

SNS24 ultrapassa recorde semanal com mais de 200 mil chamadas

O recorde semanal de chamadas atendidas no SNS24 foi ultrapassado na última semana, num aumento da procura para mais do dobro.

- publicidade -

O recorde semanal de chamadas atendidas no SNS24 foi ultrapassado na última semana, num aumento da procura para mais do dobro, de 126.860 para 279.279, em relação à última semana de 2020. De acordo com o Ministério da Saúde, o recorde foi verificado entre os dias 11 e 17 de janeiro.

Na última sexta-feira, dia 15 de janeiro, foram atendidas 45.808 chamadas, o valor mais elevado de sempre, superando o dia anterior, o segundo maior de sempre, em que se tinham registado 43.487 chamadas“, pode ler-se em comunicado.

tarot terapêutico

A tutela avança que janeiro já é o terceiro mês – apesar de ainda com 18 dias – com maior número de chamadas atendidas de sempre no SNS24 (553.645), superando o total do mês de dezembro do ano passado.

“A Linha de Aconselhamento Psicológico (LAP) atendeu, desde 1 de abril, 61.068 chamadas, 4.728 das quais de profissionais de saúde”, acrescenta.

Também, segundo o Ministério da Saúde, já foram efetuadas 907 triagens intermediadas por intérprete de Língua Gestual Portuguesa na plataforma de atendimento por videochamadas destinada aos cidadãos surdos, que está disponível no sítio na Internet do SNS24 desde o dia 21 de abril de 2020.

Neste momento, o SNS24 conta com mais de cinco mil profissionais de saúde que prestam serviço na linha, na sua maioria enfermeiros, mas também psicólogos, farmacêuticos, administrativos, médicos-dentistas, intérpretes de Língua Gestual Portuguesa e estudantes de medicina do sexto ano.

Os profissionais da linha SNS 24 estão distribuídos por oito centros de contacto em Lisboa, Porto, Braga, Algarve, Covilhã e Vila Nova de Gaia, num total de 369 postos de atendimento, ou à distância.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui