Parceiros
EconomiaSetúbal

Sines foi o concelho com maior aumento no número de desempregados em Abril

A situação de confinamento que o pais viveu devido à pandemia de covid-19 causou um forte aumento no número de pessoas inscritas nos Centros de Emprego, que no final de Abril totalizavam 392.323, mas também uma variação distinta consoante as regiões do país, consoante os dados revelados recentemente pelo IEFP.

Incluindo os concelhos das ilhas, o desemprego registado em Portugal subiu 22,1% para máximos de março de 2018. Em Abril de 2020 inscreveram-se nos Serviços de Emprego de todo o país, inscreveram-se 65.542 desempregados (em Abril de 2019 foram mais 27.887).

O Algarve é a região mais afetada, devido ao elevado peso do turismo, sendo que nos sete concelhos do país em que o número de desempregados mais do que duplicou entre abril de 2020 e o mesmo mês de 2019, seis são do Algarve.

Lisboa e Vale do Tejo é a segunda região do país com maior aumento (28,7%), seguindo-se o Alentejo (25,9%).

O total de desempregados registados no país foi superior ao verificado no mesmo mês de 2019 (+71.083; +22,1%) e também face a maio (+48.562; +14,1%).

Este número representa que as variações em abril de 2020, face ao mesmo mês do ano passado, oscilaram entre o crescimento de 334,6% registado em Albufeira e a diminuição de 22,8% em Vila Nova de Paiva.

Em 40 concelhos o número de inscritos aumentou mais de 50% e em 102 o agravamento foi superior a 25%. Por outro lado, foram 54 os concelhos que conseguiram baixar o número de desempregados inscritos nos centros de emprego, quase todos localizados no interior do país, sobretudo a norte.

Dos desempregados registados no Continente, os mais representativos são ‘trabalhadores não qualificados (25,3%), ‘trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção, segurança e vendedores’ (21,1%), ‘trabalhadores qualificados da indústria, construção e artífices’ (11,9%), ‘pessoal administrativo’ (11,5%) e ‘especialistas das atividades intelectuais e científicas’ (9,5%).

No distrito de Setúbal, percentualmente, o concelho de Sines foi o que registou o maior aumento do número de desempregados inscritos nos centros de emprego, entre Abril de 2019 e Abril de 2020, com uma variação de 93,7%, e Almada foi o concelho com uma variação menor de 15%.

Alcácer do Sal: Abril de 2020: 288 – Abril de 2019: 188 – Variação: 53,2%;

Alcochete: Abril de 2020: 523 – Abril de 2019: 432 – Variação: 21,1%;

Almada: Abril de 2020: 6 202 – Abril de 2019: 5.392 – Variação: 15%;

Barreiro: Abril de 2020: 3.544 – Abril de 2019: 2.966 – Variação: 19,5%;

Moita: Abril de 2020: 3.136 – Abril de 2019: 2.637 – Variação: 18,9%;

Montijo: Abril de 2020: 2.293 – Abril de 2019: 1.983 – Variação: 15,6%;

Grândola: Abril de 2020: 414 – Abril de 2019: 332 – Variação: 24,7%;

Palmela: Abril de 2020: 2.082 – Abril de 2019: 1.365 – Variação: 52,5%;

Seixal: Abril de 2020: 5.916 – Abril de 2019: 4.717 – Variação: 25,4%;

Setúbal: Abril de 2020: 5.439 – Abril de 2019: 3.434 – Variação: 58,4%;

Sesimbra: Abril de 2020: 1.537 – Abril de 2019: 1.140 – Variação: 34,8%;

Sines: Abril de 2020: 1.038 – Abril de 2019: 536 – Variação: 93,7%;

Santiago do Cacém: Abril de 2020: 1.136 – Abril de 2019: 639 – Variação: 77,8%.



Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carreguem em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.