Sines

Sines: Empreitada de requalificação da ZIL II foi adjudicada por mais de 4 milhões de euros

- publicidade -

A empreitada de requalificação das Ruas 1 e 2 da ZIL II, em Sines, foi consignada, marcando assim, o início formal dos trabalhos. 

A obra “é o maior investimento de requalificação alguma vez feito na ZIL II”, e que “apesar dos tempos difíceis que vivemos, é absolutamente essencial continuar a dinamizar a atividade económica no concelho”, adianta o presidente da Câmara Municipal de Sines, Nuno Mascarenhas.

A intervenção foi adjudicada por 4 070 384 euros e visa “ampliar e qualificar as duas principais artérias da zona industrial”, completa.

“A qualificação das artérias principais da ZIL II permitirá melhorar a circulação automóvel e ordenar o estacionamento, nomeadamente de pesados, além de criar condições de operação muito mais seguras, renovando a rede de águas e esgotos e enterrando as infraestruturas de eletricidade, comunicações e proteção contra incêndios”, reafirma o autarca. 

A esta obra junta-se outra que decorre desde outubro de 2020 para a “Expansão Nascente da II, que vai permitir acolher mais de 40 empresas e gerar mais de 400 postos de trabalho naquela zona industrial.”

Uma vez que “corresponde à enorme procura por parte de empresas já instaladas e que necessitam de se expandir, mas também de novas empresas, algumas das quais de setores de atividade ainda com pouca expressão em Sines, mas que veem aqui um local estratégico para o desenvolvimento dos seus negócios,” informa o autarca.

“A operação “Qualificação da ZIL II” tem um investimento elegível de 6 072 875,50 euros, cofinanciado à taxa de 85% pelo programa operacional Alentejo 2020 / Portugal 2020, com fundos FEDER / União Europeia, o que se traduz numa contribuição comunitária de 5 161 944,17 euros”, conclui.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui