Sindicatos dos transportes convoca tribuna pública dia 18 de Junho

As organizações de trabalhadores dos transportes decidiram realizar uma Tribuna Pública no dia 18 de Junho, terça-feira, entre as 08h00 e as 10h30, na estação do Cais do Sodré.

0
publicidadeGearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion
Tempo de Leitura: < 1 minuto

A FECTRANS e as Comissões de Trabalhadores das empresas públicas de transportes, que reuniram ontem em Lisboa, concluíram que a solução para a resolução dos problemas imediatos passa pela contratação de mais trabalhadores para várias áreas.

Perante a falta de resposta das administrações das empresas e do Governo, as organizações de trabalhadores decidiram juntar esforços e realizar no dia 18 de Junho, terça-feira, entre as 08h00 e as 10h30, na estação do Cais do Sodré, uma Tribuna Pública.

Para esta são convidados os trabalhadores das empresas de transportes e suas organizações representativas; os utentes e comissões de defesa do transporte público; autarcas e deputados e organizações de trabalhadores dos diversos sectores de actividade.

No comunicado emitido pela Federação sindical, os representantes sindicais afirmam que «são necessários mais trabalhadores para a manutenção e reparação de comboios e navios; para guarnecer a operação da circulação de comboios e navios e para guarnecer estações, bilheteiras e serviços de atendimento a utentes».

A Fectrans considera que «é preocupante o estado de degradação do serviço público de transportes»  e que «a situação é o resultado da falta de medidas que têm sido reclamadas pelas Organizações Representativas de Trabalhadores junto do actual governo do PS» e «da falta de trabalhadores, o desinvestimento, a falta de medidas para responder aos problemas no imediato para a recuperação de material circulante, de modo a aumentar-se a capacidade de oferta».

A Federação acusa ainda que «os trabalhadores são confrontados com o aumento das jornadas e cargas de trabalho, sendo uma parte significativa do serviço prestado, só possível com o recurso a trabalho extraordinário» e que a «a situação tende a agravar-se porque vai haver redução de trabalhadores disponíveis por motivos de férias, vamos continuar a assistir ao aumento da procura tendo em conta a justa redução de preços e a entrada em vigor do passe familiar, que depois terá o retorno da população estudantil e o regresso de férias no mês de Setembro».

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome