AtualidadebombeirosDistrito SetúbalSetúbal

Sindicato Nacional dos Bombeiros Sapadores repudia acusações da autarquia de Setúbal

A Direção do Sindicato Nacional dos Bombeiros Sapadores (SNBS) repudia «as acusações difamatórias feitas pela Câmara Municipal de Setúbal a este Sindicato

- publicidade -

A Direção do Sindicato Nacional dos Bombeiros Sapadores (SNBS) repudia «as acusações difamatórias feitas pela Câmara Municipal de Setúbal a este Sindicato, e ao seu presidente, tendo sido exatamente por no país existirem autarquias como a de Setúbal, que este Sindicato foi legalmente criado no ano transato».

Em causa está o comunicado que a Câmara Municipal de Setúbal emitiu a 18 de Setembro, no qual acusa o SNBS de «falsidade», conforme o Diário do Distrito noticiou.

Na nota enviada pela Direção Nacional do SNBS, assinada por Ricardo Cunha como dirigente nacional, «quando a autarquia diz que é falsa a noticia divulgada sobre as falhas de operacionalidade da CBSS, devido a elementos do corpo de bombeiros terem sido infetados pelo vírus Covid-19, lembramos a autarquia que no dia 12/09/2020, este Sindicato procedeu de imediato ao cancelamento de uma dispensa sindical ao nosso Presidente, dispensa essa que teria lugar no dia 16/09/2020.

Esta informação de cancelamento de dispensa sindical, foi solicitada pelo próprio Presidente do SNBS, que se mostrou preocupado com a falta de efetivos, fazendo com que tivesse que faltar com compromissos anteriormente marcados, mas não falhasse com o socorro aos Munícipes de Setúbal!

Digamos que, até que tivesse sido exposta esta situação publicamente por este Sindicato, nem o Sr. Comandante nem a Autarquia, demostraram qualquer tipo de preocupação.

Acrescentamos que, neste momento, dos 4 turnos que prestam serviço na CBSS, um turno está na sua totalidade de quarentena profilática, por ordem da Delegada de Saúde, obrigando a um esforço adicional dos restantes três turnos, a fim de garantir um socorro eficiente aos Munícipes.»

Ricardo Cunha refere ainda que numa entrevista realizada a um jornal local «o Sr. Comandante teve a desfaçatez de afirmar, que apenas tinha alguns elementos de baixa médica, e por diferenciados motivos, nunca afirmando ser por Covid-19, tendo sido seguidamente desmentido pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, que confirmou ao mesmo jornal estarem até ao momento já confirmados com diagnóstico de Covid-19, 6 Bombeiros Sapadores em Setúbal, lamentavelmente com internamento de um operacional».

Criticando a postura do Comandante da CBSS, o Sindicato exige o afastamento deste.

«Seria de esperar de um líder à altura, alguma preocupação e palavras de incentivo com os seus Homens, nesta fase alarmante que todos vivemos, ainda para mais com estes operacionais que nunca se negam a ajudar o próximo, mas infortunadamente, tal preocupação não é demonstrada pelo Sr. Comandante, motivo pelo qual este Sindicato vindica o afastamento do Sr. Comandante Paulo Lamego, uma vez que entendemos que esta postura não é a indicada para alguém com o posto de um Comandante e de nada abonatória para os Homens, que por este são (não poderemos dizer liderados) mas chefiados. Infelizmente a Autarquia não reconhece esta lacuna por si sustentada!

Um Comandante que deveria ser  o último a “abandonar o barco”, que sabe desde o dia 12/09/2020, da situação em que se encontra a CBSS e nada faz, abandonando os seus homens à sua sorte,  só agindo depois da denúncia pública do SNBS, deveria no mínimo tomar a iniciativa de se demitir!».

Outro ponto abordado na nota tem a ver com os «ataques pessoais e infundados, feitos pela Autarquia ao Presidente do SNBS, relativamente aos dias de absentismo que a Autarquia faz referência, todos esses dias estão devidamente justificados ao abrigo da Lei, tendo sido a maioria dos dias motivados, por um acidente GRAVE que o Presidente do SNBS sofreu.

Alertamos que Autarquia expôs fatores da vida pessoal de um funcionário, sem o seu devido consentimento, o que configura crime ao abrigo da Lei, chegando esta ao ponto inaceitável de colocar em causa uma baixa médica, passada por um profissional de saúde, demonstrando assim desta forma não olhar a meios, para tentar limpar uma imagem impossível de limpar. Comprova-se desta maneira e com estas condutas levadas a cabo pela Autarquia de Setúbal, o que está mais que provado, que toda esta situação foi uma má gerência, tanto da Autarquia como do Sr. Comandante.»

O SNBS responde ainda às acusações por parte da Câmara Municipal «de falta de rigor e desconhecimento, tentando descredibilizar esta instituição, pois bem: o SNBS, defende e defenderá sempre e intransigentemente todos os Bombeiros Sapadores do País, sempre que os seus direitos sejam postos em causa, tal como é o caso!

- publicidade -

Se à Autarquia de Setúbal não lhe agrada a exposição, isso é uma outra questão, pelo que deixamos aqui uma indicação gratuita para um futuro: Para se resolver algo, há que haver diálogo, para que haja diálogo, tem que haver abertura para o mesmo… Infelizmente essa abertura por parte da Autarquia NUNCA existiu…

Em matéria de credibilidade, informamos a Autarquia de Setúbal, que os Bombeiros Sapadores interpuseram uma acção judicial contra a Câmara, pois nas promoções da carreira, a Autarquia em vez de promover pelo MÉRITO, deu preferência a que fosse o Sr. Comandante a escolher quem seria promovido, deixando muitos Bombeiros dos lugares cimeiros fora da promoção, o que demonstra bem, que a nível de credibilidade, o SNBS é bem mais fiável.

Finalizamos, afirmando que as acusações difamatórias preconizadas pela Autarquia e pelo Sr. Comandante da CBSS, serão alvo de procedimento judicial por parte do SNBS, pois entendemos que a falta de respeito aos Bombeiros Sapadores e ao SNBS passou dos limites aceitáveis.»

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui